Regiões

Cubal celebra aniversário com foco na agricultura e turismo

Arão Martins / Benguela

Jornalista

Essencialmente agrícola, o Cubal é um dos dez municípios da província de Benguela, que celebrou, segunda-feira, 55 anos, desde a ascensão à categoria de município. Com uma população estimada em 367 mil habitantes, a administração local tem como aposta, para os próximos anos, a melhoria das vias de acesso com as comunas.

24/01/2023  Última atualização 11H20
© Fotografia por: Arão Martins | Edições Novembro | Cubal

A administração do município, com 41 aldeias e igual número de ombalas, tem, em curso, acções, para melhoria nas vias de acesso da sede municipal às comunas da Yambala, Capupa e Tumbulo.

O primeiro passo tem sido a terraplanagem do troço, que liga a sede do município à comuna da Yambala, que já foi concluída e os benefícios têm sido notáveis. Outro passo, que acontece nos próximos dias, é a terraplanagem dos troços de acesso às comunas do Tumbulo e Capupa, a ser executado depois do concurso público para adjudicação das empreitadas.

O aumento e melhoria dos serviços primários de saúde e a redução da distância que as populações percorrem para aceder a estes, são, também, das apostas da administração municipal do Cubal.

Com mais outros projectos em carteira, o adminstrador do município, Paulino Banja, espera responder aos anseios da população com as verbas do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), instrumento usado no planeamento operacional de algu-

mas localidades, através da identificação das acções específicas, a serem feitas para melhoria das condições de vida das populações.

 

Projectos do PIIM

Este ano, o município do Cubal tem como principais projectos a construção de três escolas, um centro de saúde, uma unidade de polícia, assim como serviços de terraplanagem em determinadas localidades e a aquisição de equipamentos de saneamento básico.

O plano, explicou, é também reforçar o processo de desconcentração administrativa e financeira, criando condições para implementação da autonomia local. A nível local, disse, foram aprovados, em Maio de 2021, nove projectos, dos quais três de apoio ao desenvolvimento, entre os quais o de recolha de resíduos sólidos.

 

Agricultura, pecuária e Pesca

O programa de fomento da agricultura, pecuária e pesca tem merecido a atenção especial da Administração Municipal do Cubal, que tem feito a aquisição de charruas e motobombas, para fortalecer as famílias e diversas associações de camponeses.

No quadro deste programa de acção, as famílias têm beneficiado, também, de enxadas, catanas, picaretas e limas.

A administração municipal, acrescentou Paulino Banja, tem estado também a adquirir e a distribuir, igualmente, sementes de feijão, milho, massambala e algumas hortaliças, assim como fertilizantes.

 

Combate à pobreza

O município do Cubal ganhou, no quadro do Plano Integrado de Desenvolvimento Local e Combate à Pobreza, um mercado de venda de frutas e hortaliças. Os projectos permitiram ainda a compra de duas moagens para transformação de fuba de milho, 50 motorizadas, para apoio a reintegração social dos ex-militares e familiares.

Os meios rolantes estão a ser empregues nos serviços de moto-táxi e facilitação de escoamento de produtos do campo produzidos pelas cooperativas e brigadas.

O mesmo programa ajudou ainda a construir uma escola, com dez salas de aula, no bairro Novo-Sede, assim como reabilitar três sistemas de água nos bairros Sope-tumbulo, Bundiangolo-sede e Marco de Canavezes.

Com a implementação das acções em desenvolvimento, o administrador adiantou que foi possível intervir nas áreas de maior vulnerabilidade do ponto de vista económico e social, estimulando a produção local e promover o auto-emprego entre os ex-militares e os jovens.

 

  Governador de Benguela valoriza potencial agrícola do município

O governador provincial de Benguela, Luís Nunes, elogiou o potencial agrícola do Cubal.

Numa visita efectuada à localidade, o governante garantiu que o Executivo vai continuar a prestar todo apoio ao sector produtivo do município, com o intuito de melhorar a qualidade de vida das populações.

Para o governante, o Cubal é uma das localidades da província com muito potencial a ser explorado, que precisa apenas de mais abertura de mercado, para conquistar novos espaços, assim como atrair investimentos. Luís Nunes acredita que com uma maior atenção da classe empresarial ao potencial do município, os habitantes locais podem contar com dias melhores.

 

Turismo

O administrador municipal do Cubal disse que o sector do turismo precisa de muito investimento, mas para tal convidou os empresários a investirem no município. "O Cubal tem terras aráveis à espera de investidores. Temos locais lindos”, reforçou.

 

Duas histórias para descrever as origens da localidade 

Localizado a 150 quilómetros a Leste da sede municipal de Benguela, Cubal é limitado a Norte pelo município do Bocoio, a Sul por Chongorói e Caluquembe (Huíla), enquanto a Oeste está a Ganda e Caimbambo.

Na história do município existem duas versões sobre a origem do nome "Cubal”. A primeira é associada ao nome de uma mulher famosa, chamada por Cuvale, que veio, fugida, de Chivititi, região da Ganda, onde foi acusada de feiticeira.

A mulher, já com uma idade avançada, fixou-se na região, particularmente no entroncamento entre os rios Cubal, na Ganda, e Hanha. No local, começou a acolher e ajudar os viajantes. Com o passar do tempo, o nome Cuvale começou a sofrer uma deturpação e pelo "aportuguesamento” a palavra Cuvale passou a ser proferida como Cubal. Tendo, com os anos, o município adoptado este nome.

Uma outra versão da história, diz que o nome surgiu pelo facto de ser a localidade onde se unem os rios Cubal da Ganda e Hanha.

Contudo, a maioria dos anciões do município defendem a primeira versão da história.

 

Primeiras presenças

O município começou a registar a primeira presença europeia no século XIX, precisamente em 1878, com a chegada do português Joaquim Francisco Ferreira, conhecido por "Yola Yola”.

Na época, os principais grupos étnicos eram os Vahanhas, localizados na parte Sul do Cubal até a área onde hoje é a sede municipal, os Kissanjes, no Norte, os Mungandas, a Este, e os Bocoios, a Oeste.

Entre os anos 1912 a 1914, o Cubal era um Posto Administrativo da Hanha, pertencente ao Conselho da Ganda. Em 1928, com o desenvolvimento da povoação, a sede do posto da Hanha, até então instalada na Cassiva, passa para a região que hoje é o Cubal.

Na altura, a região Hanha conheceu relativa importância, inclusive mesmo antes da construção do Caminho-de-Ferro de Benguela, em especial pelas populações autóctones (sobretudo no aspecto socio-cultural).

Em 14 de Junho de 1962 é fundado o Conselho do Cubal que passou a integrar o antigo Posto da Hanha até então pertencente à Ganda.

 

Era colonial

O Cubal teve como primeiro chefe, Horácio Lusitano Nunes, na altura em que o Governador do então Distrito de Benguela era o Inspector Administrativo Hortênsio de Sousa.

Nesta altura, o órgão municipal funcionava como uma junta local que, por decisão superior, desenvolvia actividades. Mas tal aconteceu por curto espaço de tempo, porque em 6 de Dezembro de 1961, foi criada a primeira Câmara Municipal.

A 23 de Janeiro de 1968, o Cubal atingiu a categoria de cidade, através da portaria n.° 15.371 Decreto n.° 48.033, de 11 de Novembro de 1967, por despacho do então Governador de Angola, Camilo Augusto de Miranda Rebocho Vaz.

Até Novembro de 1974, o Conselho do Cubal era formado pelos Postos de Quando, Hanha, Sede e Caimbambo.

 

Pós-Independência

Em 1976, já numa Angola Independente, é adoptada uma nova nomenclatura administrativa, pois os Conselhos passaram a designar-se Municípios e os Postos Administrativos  Comunas, assim como os responsáveis máximos de Comissários a Administradores (Municipais e Comunais).

Desde a Independência até hoje, o Cubal já teve diversas individualidades a exercerem as funções de chefias. Actualmente o cargo máximo do município do Cubal está sob a responsabilidade do administrador Paulino Banja.

  Um hospital para a comunidade

A construção de um novo hospital é uma das prioridades para o sector da saúde. A futura unidade vai permitir uma maior aproximação dos serviços às populações.

O administrador do Cubal informou que o hospital vai ajudar a melhorar a assistência médica e medicamentosa na localidade.

O sector da saúde no município, destacou, conta com 689 funcionários, divididos entre enfermeiros, técnicos de diagnóstico, médicos, auxiliares administrativos que atendem as populações das comunas e da sede municipal. Do número referido, 198 entraram a partir dos últimos concursos realizados pelo Ministério da Saúde.

Além de postos e centros de saúde, o município do Cubal conta, também, com duas unidades hospitalares de referência, designadamente: o Hospital Municipal e Missionário, que costumam acudir vários doentes, vindos dos municípios da Ganda, Caimbambo e Chongoroi.

A malária, má nutrição, tuberculose, febre tifóide e doenças respiratórias agudas são as doenças mais frequentes.

Os técnicos de saúde têm realizado camapnhas de sensibilização junta das comunidades, de forma a serem criadas mais medidas de prevenção, para conter a disseminação destas doenças.

  Novas escolas em construção

No sector da educação, informou, está em curso a construção, dentro do Programa Integrado de Intervenção nos Municípios, de duas escolas, que vão gerar 21 novas salas de aulas, para albergar 1.440 alunos.

Actualmente, o município conta com 178 escolas, das quais 153 do ensino primário, 14 complexos escolares, seis colégios e cinco escolas do II Ciclo.

Os novos projectos propostos, para os próximos meses, pela administração municipal incluem um aumento do número de escolas, de forma a poder atender as necessidades de toda a comunidade local.

A distribuição de merenda escolar é feita em dois estabelecimentos de ensino. A prática tem beneficiado mais de 800 crianças.

Além destas, existe um centro de formação profissional nas áreas do Magistério Politécnico, uma Escola Técnica de Saúde e outra Agrária no Alto Capaca. A região tem 2.889 funcionários e destes 2.428 são professores.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões