Regiões

Cuanza-Norte tem novos projectos para melhorar abastecimento de água

Marcelo Manuel | Ndalatando

Jornalista

Dois projectos para a melhoria do fornecimento de água potável às sedes municipais de Cazengo e Golungo-Alto, província do Cuanza-Norte, com carácter urgente, avaliados em mais de cinco mil milhões de kwanzas, financiados pelo Executivo, arrancam em breve, anunciou, segunda-feira, em Ndalatando, o governador Adriano Mendes de Carvalho.

23/03/2022  Última atualização 08H45
Objectivo é evitar que a população deixe de percorrer distâncias à procura água potável © Fotografia por: Marcelo Manuel | Edições Novembro

De acordo com o governante, o projecto de Cazengo está avaliado em 3.246.876.750,00 (três mil milhões, duzentos e quarenta e seis milhões, oitocentos e setenta e seis mil, setecentos e cinquenta kwanzas).

A fonte de captação será erguida por detrás do morro 1014, a partir do leito do rio Lússue, com uma conduta com cerca de seis quilómetros e 200 metros, para reforçar o sistema já existente em Ndalatando.

Com a conclusão das obras, prevê-se a melhoria do fornecimento de água a cerca de 50.000 habitantes dos bairros Carreira de Tiro, Mahamba, Tiro aos Pratos, Camundai, Vista, Mesquita e Sassa.

As Zonas Leste, Centro e sul da cidade de Ndalatando vão ser abastecidas com o reforço da capacidade já instalada do projecto Mucari.

Segundo Adriano Mendes de Carvalho, o referido projecto vai servir de alternativa, enquanto se aguarda pela conclusão do projecto criado a partir do rio Lucala, a 36 quilómetros, cujos trabalhos arrancaram a cerca de seis meses, com a execução das obras do centro de captação, tratamento e colocação da tubagem, que vai transportar água num percurso de 40 quilómetros. Em relação ao projecto do Golungo-Alto, que dista a 55 quilómetros da cidade de Ndalatando, prevê-se a reestruturação do sistema de captação e tratamento, construído ao longo das margens do rio Nzenza e destruído pelas fortes chuvas que se abateram na região, durante a segunda quinzena de Dezembro passado.

A requalificação do referi-do sistema está orçada em 2.917.408,08 (dois mil milhões, novecentos e dezassete milhões, quatrocentos e oito mil e oito cêntimos. A fiscalização vai custar aos cofres do Estado 108.145.870,00 (cento e oito milhões, cento e quarenta e cinco mil, oitocentos e setenta kwanzas.

Com a renovação do projecto prevê-se a melhoria do fornecimento de água potável a mais de 40 mil habitantes da vila do GolungoAlto e arredores.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões