Política

Cuanza-Norte regista 69 mortes nas estradas de Janeiro a Novembro

André Brandão | Ndalatando

Pelo menos 69 pessoas morrem e 300 ficaram feridas, de Janeiro a Novembro do corrente ano, nas estradas da província do Cuanza-Norte, em consequência de 276 acidentes de viação, com um aumento de 131 ocorrências em relação ao ano passado, com danos avaliados em 303 milhões e 910 mil kwanzas, avançou sábado o especialista de Trânsito e Segurança Rodoviária, o inspector Carlos Afonso.

21/11/2022  Última atualização 07H41
Dados sobre o trânsito e segurança rodoviária © Fotografia por: Edições Novembro
O inspector Carlos Afonso, que falava no Cine Ndalatando, no acto provincial em alusão ao Dia Mundial em Memória às Vítimas de Estrada, realçou que 90 atropelamentos resultaram em 23 mortos.

Seguem-se as colisões entre veículos, motociclos, em obstáculos fixos e por capotamento. O especialista disse que a maior parte dos acidentes aconteceram das seis da manhã às 17 horas, e salientou que o mau comportamento cívico nas estradas de alguns automobilistas contribuiu para o aumento dos feridos.

Na ocasião, o governador província do Cuanza-Norte, Pedro Makita, considerou que os indicativos do grau de ocorrências destes meses leva a todos a reflectir seriamente no fenómeno que tem vitimado pessoas, deixando viúvos, órfãos e muitos incapazes para a realização de actividades laborais.

"Apesar de algumas limitações de âmbito económico-financeiro, o Governo Provincial do Cuanza-Norte vai continuar a dedicar uma especial atenção ao ordenamento do trânsito, visando a melhoria da circulação rodoviária desta região”, referiu.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política