Cultura

Cuanza-Norte aposta na preservação

Manuel Fontoura | Ndalatando

Jornalista

O governo do Cuanza-Norte reafirma a aposta na preservação dos mais de 20 monumentos e sítios registados e classificados na província, por entender que os mesmos testemunharam acontecimentos relevantes da nossa história.

20/04/2022  Última atualização 11H05
© Fotografia por: DR

O chefe de Departamento da Cultura, Rosa Carlos, afirmou estar em curso o trabalho para a identificação de mais lugares históricos, tendo acrescentado que a província do Cuanza-Norte tem muitos outros lugares que precisam ser conhecidos e estudados para serem, igualmente, elevados a património nacional.

Segundo o sociólogo Lúcio Marques, os monumentos e sítios estabelecem uma relação de trabalho entre o homem e a natureza, daí constituindo-se em verdadeiras zonas turísticas, razão pela qual defende o envolvimento de todos na preservação do património histórico.

Dos mais de 20 monumentos e sítios, actualmente, classificados e não classificados no Cuanza-Norte, pelo Instituto Nacional do Património Cultural, oito dos quais estão localizados no município de Cambambe, com excepção da Igreja Santo António de Cahenda (Samba-Cajú).

Destacam-se ainda, a fortaleza, em Massangano, área residencial da barragem de Cambambe e as igrejas da Nossas Senhoras do Rosário e da Vitória, erguidas no século XVI, as ruínas do Tribunal de Massangano e Real Fábrica de Ferro de Nova Oeiras, do século XVIII, torre de fundação real, onde se fabricaram os primeiros canhões para a tropa portuguesa, assim como o Cruzeiro e moradia "Casa dos Bentes”.

A Igreja da Nossa Senhora da Vitória, que dista a cerca de 40 quilómetros a Noroeste da cidade do Dondo, encontra-se neste momento recuperada, sob égide da Missão Católica.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura