Regiões

Cuanhama tem centro integrado para apoiar famílias carentes

Elautério Silipuleni | Ondjiva

Jornalista

Famílias que vivem em situação de vulnerabilidade, no município do Cuanhama, província do Cunene, vão passar a ser assistidas num Centro de Acção Social Integrado (CASI), com capacidade para atender 300 pessoas por dia.

12/11/2022  Última atualização 08H00
Diariamente vão ser atentidas cerca de 300 pessoas em situação de vulnerabilidade © Fotografia por: DR

O centro, inaugurado pelo vice-governador para o Sector Politico, Social e Económico, Apolo Ndinoulenga, foi criado no âmbito do Programa de Combate à Pobreza.

Estão disponíveis cinco salas de serviços de saúde, registo civil, defesa dos direitos das crianças nas comunidades,  protecção à pessoa carenciada, entre outros.

O governante referiu que os cidadãos com carências sociais e com necessidade de apoio devem recorrer ao Centro de Acção Social Integrado, para serem cadastrados, a fim de receberem apoio das instituições.

Apolo Ndinoulenga disse que o CASI é um centro de identificação, tratamento e facilitação do acesso das comunidades mais carenciadas aos serviços sociais básicos.  "Com a abertura deste centro teremos maior capacidade para resolver os problemas dos munícipes do Cuanhama, com rapidez e mais eficácia”, garantiu o vice-governadora do Cunene.

Explicou que a ideia é criar um instrumento de âmbito municipal e local, onde a Administração, através dos agentes comunitários, faça o cadastro e registo de todas as pessoas que carecem de assistência.

O equipamento social, inaugurado um ano depois da conclusão da obra, vai, segundo a directora do Gabinete Provincial da Acção Social, Família e Igualdade de Género (GASFIG), Georgina Braga, funcionar com 30 agentes comunitários denominados ADECOS, que vão ter a missão de deslocar-se aos bairros das comunas do município, para identificar problemas e registar pessoas em situação de vulnerabilidade, de modo a se encontrar uma solução rápida para cada caso.

Segundo Georgina Braga, o projecto de construção de Centros de Acção Social Integrados (CASI) será implementado em todos os municípios do Cunene, para beneficiar famílias carenciadas.

"Os Centros de Acção Social Integrados vão facilitar a identificação das famílias e o tipo de carência ou necessidade de cada uma, para que a resolução dos problemas e a distribuição dos bens disponíveis seja mais eficiente e célere”, explicou a directora, acrescentando que os centros vão, através de uma base de dados, ajudar os diferentes sectores do Governo no controlo dos donativos.

Georgina Braga esclareceu que os casos de famílias vulneráveis serão avaliados por técnicos especializados e as ocorrências lançadas numa base de dados.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões