Regiões

Cuando Cubango regista 781 novos casos de Sida

Carlos Paulino | Menongue

Jornalista

A província do Cuando Cubango registou, de Janeiro a Setembro deste ano, 781 casos de VIH/Sida, em 11.822 testes realizados em diferentes unidades sanitárias, segundo a supervisora provincial do Programa de Luta contra a doença SIDA.

30/11/2021  Última atualização 10H05
A população continua a ser aconselhada no sentido de conhecer o seu estado serológico © Fotografia por: nicolau vasco | edições novembro | menongue
  Maria Matias explicou que 158 casos foram diagnosticados em crianças, 485 em adolescentes e adultos e 138 em mulheres grávidas, durante as consultas pré-natais.

Acrescentou que no período em balanço 88 crianças nasceram de mães seropositivas que aderiram ao corte de transmissão vertical e estão a ser acompanhadas para saber se estão ou não livres da doença. 

Durante o período em referência, referiu, 97 crianças que estavam em acompanhamento, desde o ano passado, tiveram resultados negativos do VIH/Sida.

Salientou que, de Janeiro a Setembro de 2020, foram diagnosticados 1.564 casos positivos, em 16.385 testes realizados, dos quais 113 em crianças, 1.075 em adolescentes e adultos e 376 em mulheres grávidas.

Referiu que, no período em referência, 231 crianças nasceram de mães seropositivas, das quais 18 tiveram resultado negativo do VIH/Sida e as restantes continuam em seguimento.

Maria de Fátima Matias realçou que o programa "Nascer Livre para Brilhar” na província do Cuando Cubango está a ter resultados satisfatórios, tendo em vista que muitas mulheres grávidas seropositivas estão a aderir ao tratamento durante a gestação e  amamentação, para que os filhos possam viver sem a doença.

Apontou os municípios de Menongue, Mavinga e Calai como as localidades da província do Cuando Cubango que mais preocupam as autoridades sanitárias, devido aos indicadores elevados de casos de VIH/Sida.

Maria de Fátima Matias fez saber que este ano a província recebeu aparelhos para o teste da carga viral e também de Diagnóstico Precoce Infantil (DPI), que estão a permitir um melhor controlo da doença.

Garantiu que neste mo-mento o Programa de Combate ao VIH/Sida no Cuando Cu-bango tem medicamentos suficientes para os pacientes que diariamente recorrem às unidades sanitárias em busca de assistência médica e medicamentosa.  

Sublinhou que actualmente regista-se muitas mulheres a irem buscar medicamentos, uma atitude que não se verifica nos homens, que muitas vezes recusam fazer o teste, quando a mulher é diagnosticada com o VIH/Sida, nas consultas pré-natais.

"Outra situação que registamos é de muitos cidadãos que abandonam o tratamento e outros que preferem procurar um terapeuta tradicional ou curandeiros para a cura do Sida”, disse, acrescentando que as pessoas devem aderir ao tratamento com anti-retrovirais, porque é a única forma de viverem mais tempo e evitar doenças diarreicas agudas, febre alta e vómitos, que provocam precocemente a morte de muitos doentes.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões