Sociedade

Crianças voltam ao seio familiar

Edna Mussalo

Jornalista

As 21 crianças angolanas que regressaram ao país no passado dia 6, vindas da Alemanha, onde estavam em tratamento médico, foram, segunda-feira, entregues aos familiares, depois de um período de confinamento, devido à Covid-19.

21/07/2021  Última atualização 09H51
Momento foi de muita alegria © Fotografia por: Maria Augusta|Edições Novembro
As crianças, com idades entre 5 e 15 anos, seleccionadas em várias províncias, beneficiaram de tratamento médico na sequência de um protocolo de cooperação entre a Organização Friendesdorf Internacional da Alemanha e a ONG angolana Kimbo Liombembwa.

A secretária-geral da ONG Kimbo Liombembwa, Servelina Neto, disse que a cooperação dura há 20 anos e mais de três mil crianças já beneficiaram de cuidados médicos na Alemanha.


A ONG Kimbo Liombembwa, acrescentou, tem como missão ajudar a tratar crianças carentes, com patologias difíceis de ser tratadas no país. Acrescentou que há previsão de serem enviadas cerca de 200 crianças nos próximos dias.
As crianças regressadas trazem um relatório do tratamento efectuado, para que possam ser seguidas por profissionais nacionais. 


Kimbo Liombembwa, que na língua nacional umbundo significa "Aldeia da paz", é uma ONG sem fins lucrativos, criada em Janeiro de 2001.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade