Sociedade

Criados mais de quatro mil postos de emprego no âmbito do PAPE 

Alfredo Ferreira / Caxito

Jornalista

Pelo menos 4.359 postos de emprego foram criados, desde 2019 até à data, na província do Bengo, no âmbito do Plano de Acção para a Promoção da Empregabilidade (PAPE) e do programa “Avanço”, revelou, segunda-feira, em Caxito, o chefe dos serviços provinciais do Instituto Nacional do Emprego e Formação Profissional (INEFOP). 

30/11/2022  Última atualização 10H25
Responsável do INEFOP garante que mais apoios vão ser dados a jovens da província do Bengo © Fotografia por: Maria João | Edições Novembro | Bengo

Agnaldo Chumbo realçou que 4.020 desses empregos foram criados com a distribuição de 1.234 kits de trabalho aos jovens formados nos centros de formação técnico-profissionais do INEFOP. 

O responsável avançou que, durante o referido período, a província recebeu um total de 1.366 kits profissionais, que estão a ser distribuídos aos técnicos recém-formados, no âmbito do programa "Avanço”. 

Agnaldo Chumbo acrescentou que, dos 1.234 kits profissionais já distribuídos, 240 foram entregues a técnicos formados no município de Ambriz, 108 (Bula-Atumba), 500 (Dande), 177 (Dembos), 144 (Nambuangongo) e 65 a Pango Aluquém. 

Esclareceu que os 4.020 postos de emprego foram criados nas áreas de agricultura (636), cabeleireiro (543), canalização (399), carpintaria (342), corte e costura (255), cozinha/pastelaria (216) e electricidade (285). 

Foram, também, criados empregos nas áreas de jardinagem (69), ladrilhagem (150), manicure e pedicure (222), pedreira (261), serralharia (237), soldadura (177), pintura (66), mecânica (18), antena parabólica (18) e electrónica (126). 

Agnaldo Chumbo adiantou que, fruto da concessão de 113 micro-créditos a igual número de beneficiários, no valor global de 40 milhões de kwanzas, foi possível criar mais 339 postos de trabalho. 

O chefe dos serviços provinciais do INEFOP, no Bengo, Agnaldo Chumbo, referiu que, dos 91 candidatos inscritos para a aquisição de carteiras profissionais, pelo menos 39 já foram entregues aos solicitantes. 

Milhares de jovens formados 

Desde 2019 até à data, o Bengo formou 4.051 jovens, sendo 2.211 mulheres e 1.840 homens, a partir das unidades de formação técnico-profissionais do Dande (1.633), Dembos (448), Bula-Atumba (108), Ambriz (1.437), Pango Aluquém (146) e Nambuangongo (289 técnicos). 

Agnaldo Chumbo reafirmou a aposta na expansão dos serviços de formação técnica e profissional na província, para que, no próximo ciclo formativo (sétimo), seja possível formar mais de dois mil jovens nas áreas de serralharia, pedreira, ladrilho, electricidade, cozinha/pastelaria, corte e costura, cabeleireiro e decoração. 

Salientou que, na Penitenciária de Caboxa, prevê-se a formação de mais de 150 jovens nas áreas de corte e costura, decoração, montagem de antenas parabólicas, reparação de telefone e empreendedorismo. "Esses são os cursos que nós pretendemos ministrar naquela cadeia”, disse. 

Estágios profissionais 

Segundo Agnaldo Chumbo, pelo menos 103 jovens, de um total de 138 submetido a estágios, em várias empresas que actuam na província, conseguiram emprego, no âmbito do PAPE. 

Explicou que os estágios profissionais decorreram nas empresas Petromar (100 candidatos) Pan-China (nove, Fazenda Filomena (23), ENDE (dois) e Cefomac  Construção (quatro). 

"Nos próximos dias, vamos colocar mais 20 jovens na Empresa de Águas e Saneamento do Bengo”, acrescentou o responsável, para avançar que a implementação do PAPE a nível da província está a produzir efeitos positivos. 

A justificar essa afirmação, Agnaldo Chumbo disse que o plano está a facilitar a concessão de micro-créditos à juventude, fomentar o auto-emprego, avaliar e certificar as competências, promover estágios, atribuir carteiras profissionais e a assegurar a entrega de kits de trabalho. 

"As políticas inseridas na aplicação do PAPE estão a contribuir na redução do desemprego e dos níveis de pobreza, por via da inserção imediata dos jovens no mercado de trabalho, através do incentivo ao empreendedorismo e capacitação técnico-profissional”, frisou. 

Na província do Bengo, o INEFOP controla um total de 40 formadores efectivos e 20 colaboradores contratados, no âmbito do programa "Avance e Capacite”, para que mais jovens tenham acesso à formação técnico-profissional. 

O PAPE, aprovado pelo Decreto Presidencial nº113/2019, foi lançado, oficialmente, a 17 de Setembro de 2020, nas províncias do Uíge e Bengo, implementado, em 2021, no mês de Outubro. 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade