Economia

Criadas as condições para descarga de mercadoria importada a granel

Victorino Joaquim

Jornalista

Operadores de terminais do Porto de Luanda reafirmaram, nesta sexta-feira (18), ao director nacional da Indústria, César Cruz, haver condições criadas para descarga de mercadoria importada a granel ou em big bags, uma decisão em vigor desde terça-feira (15), para beneficiar o sector de embalamento e o emprego no país.

19/06/2021  Última atualização 14H41
© Fotografia por: DR

Durante a visita, que durou três horas, o director nacional da Indústria percorreu as instalações do Porto de Luanda, passando pelos terminais de carga para verificar a exactidão das reclamações de sectores em relação à medida.

 

César Cruz observou a descarga de mercadoria a granel, reunindo-se com membros do Conselho de Administração e operadores dos terminais que reafirmaram a viabilidade dos processos, bem como do equipamento e infra-estrutura disponíveis para o manuseamento de mercadoria a granel.

 

Em declarações à imprensa, no final da visita, César Cruz desvalorizou o cepticismo de sectores do mercado quanto à implementação da medida instituída pelo Decreto Presidencial nº 63/21, 17 de Março, que estabelece como prioridade a importação de mercadorias a granel.

 

Segundo o responsável, "o cepticismo não tem razão de existir, uma vez que o mais importante é a satisfação das necessidades da população”, além do facto de a medida  "proporcionar inúmeras vantagens, como a integração de novas indústrias e a geração de postos de trabalho”.

 

O director insistiu em que os operadores dos terminais de carga garantiram possuir entre outras condições, mecanismos que permitem a descarga de mercadoria a granel, com muitos deles a demonstrarem deter experiência e conhecimento neste domínio, como é o caso da Unicargas que, entre Julho de 2020 e Maio e deste ano, manuseou 182 303 toneladas de carga diversa importada a granel.

 

No momento em que César Cruz proferia as declarações, estava a ocorrer a descarga de trigo em grão importado a granel, saindo do navio para armazenamento em silos. As condições verificadas no Porto de Luanda, são, segundo o director nacional, as mesmas existentes nos demais portos do país, nomeadamente, do Lobito e do Namibe.

 

 

 

 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia