Economia

Crescimento industrial centraliza prioridades

Isaque Lourenço

Jornalista

O ministro da Indústria e Comércio, Victor Fernandes, considerou fundamental manter uma relação profícua com os Emirados Árabes Unidos, com vista a impulsionar o crescimento do sector industrial angolano.

13/10/2021  Última atualização 08H55
© Fotografia por: DR
Victor Fernandes fez estas declarações à margem da vi-sita de cortesia que efectuou, ontem, a chancelaria da Embaixada de Angola em Abu Dhabi, na companhia do embaixador Albino Malungo, soube o Jornal de Angola.

Na ocasião, disse que vai aproveitar a sua estada nos Emirados Árabes Unidos (EAU) para estabelecer contactos que ajudem a fortalecer o sector da Indústria e Comércio.  

O ministro disse  que foi aos EAU a convite da organização do Fórum Global de Negócios África - Dubai, que decorre nos dias 13 e 14 (hoje e amanhã), em Dubai, a cidade económica dos EAU. À margem do "Global Bussiness Forum Africa 2021", o ministro Victor Fernandes vai manter outros encontros no âmbito do reforço das relações institucionais e da captação de financiamentos de projectos no país ligados ao sector da indústria têxtil (vestuário e calçados), indústria alimentar (transformação do arroz) e madeira (móveis).

Dentre os encontros a manter com as autoridades emiratis, destacam-se a do ministro de Estado, Sheikh Shakhboot bin Nahyan Al Nahyan, da ministra de Estado da Cooperação Internacional e directora-geral da Expo 2020 Dubai, Reem Al Hashimy, do director-geral da Câmara de Comércio e Indústria de Abu Dhabi, Mohammed Al Muhairy e do Dubai, Hamad Buamim.

As relações diplomáticas entre a República de Angola e os Emirados Árabes Unidos (EAU) foram estabelecidas no dia 11 de Dezembro de 1997. Os dois países gozam de uma cooperação económica activa que só em Junho de 2020 atingiu o valor de USD 1,9 milhões em exportações e importações. O comércio entre os dois países tem aumentado desde 2004, e envolve uma variedade de materiais e matérias-primas como rochas ornamentais, diamantes, petróleo e outros minerais.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia