Economia

Crédito bruto calculado em 4,77 biliões de kwanzas

O crédito bruto ao sector não financeiro, em Junho, cifrou-se em 4,77 biliões de kwanzas, tendo registado um ligeiro aumento de cerca de 1,05 mil milhões de kwanzas (0,02 por cento), face ao período homólogo, sendo que, 91,52 por cento representava o endividamento do sector privado (empresas privadas e particulares) e 8,48 por cento o endividamento do sector público (administração pública e empresas públicas).

02/08/2022  Última atualização 09H06
© Fotografia por: DR

O endividamento do sector público não financeiro totalizou 404,81 mil milhões de kwanzas, dos quais 57,96 por cento referentes à Administração Pública e 42,04 por cento às empresas públicas. Comparativamente ao período homólogo, registou-se um aumento de 30,28 mil milhões de kwanzas (8,08 por cento).

Por sua vez, o endividamento do sector privado (empresas privadas e particulares) registou uma redução de 29,22 mil milhões de kwanzas (0,66 por cento), ao passar de 4,40 biliões de kwanzas em Junho de 2021, para 4,37 biliões de kwanzas em Junho de 2022, sendo que o endividamento das empresas privadas não financeira era correspondente a 3,52 biliões, com uma diminuição de 1,50 mil milhões de kwanzas (0,04 por cento) e o endividamento dos particulares correspondia a 846,79 mil milhões de kwanzas, com uma redução de 27,72 mil milhões de kwanzas (3,17 por cento).

Relativamente ao Sector Real, no mês de Junho de 2022, o crédito bruto ao sector não financeiro alocado à economia real somou 936,02 mil milhões de kwanzas, representando 19,65 por cento sobre o crédito total bruto do sector bancário. Comparativamente ao período homólogo, registou-se um ligeiro decréscimo de 2,12 mil milhões de kwanzas.

O crédito bruto concedido no âmbito dos Avisos do BNA de fomento ao sector real totalizou 438,51 mil milhões de kwanzas, o que correspondia a 46,85 por cento do total de crédito ao sector real.

Em termos de sector de actividade económica do crédito total concedido ao sector real, no período em análise, destacam-se Indústrias transformadoras com 491,34 mil milhões de kwanzas (52,49 por cento), dos quais 334,71 mil milhões de kwanzas (68,12 por cento) correspondentes ao crédito ao abrigo dos Avisos em destaque e Agricultura, produção animal, caça, floresta e pesca com 336,96 mil mi-lhões de kwanzas (36,00 por cento), sendo que, 30,74 por cento, ou seja, 103,58 mil milhões de kwanzas representavam o crédito concedido no âmbito dos Avisos do BNA sobre o fomento do crédito ao sector real; e indústrias extractivas com 107,77 mil milhões de kwanzas (11,51 por cento), destes 213,92 milhões de kwanzas (0,19 por cento) concedidos ao abrigo dos Avisos sobre a concessão de crédito ao sector real.

 

Ajuste de taxas

Segundo uma directiva também publicada, ontem, pelo BNA, havendo necessidade de se ajustar a taxa de juro das Facilidades de Cedência e de Absorção de Liquidez, regulamentadas ao abrigo do Aviso 11/2011, de 20 de Outubro, e em conformidade com as decisões da centésima sexta sessão ordinária do Comité de Política Monetária, realizada a 29 de Julho de 2022, o banco central estabelece que a taxa básica de juro do BNA (Taxa BNA) é fixada em 20 por cento ao ano. A taxa de juro da Facilidade Permanente de Absorção de Liquidez é fixada em 15 por cento ao ano, enquanto a taxa de juro da Facilidade Permanente de Cedência de Liquidez (FCO) está fixada em 23 por cento/ano.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia