Política

CPLP tem de ousar avançar com livre circulação de pessoas e bens

O presidente do parlamento da Guiné-Bissau, Cipriano Cassamá, defendeu que a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) tem de ousar “avançar com a livre circulação de pessoas e bens”.

16/07/2021  Última atualização 22H59
Presidente do parlamento da Guiné-Bissau, Cipriano Cassamá © Fotografia por: DR
Cipriano Cassamá falava na sessão de abertura da Assembleia Parlamentar da CPLP, que decorre na última semana, em Bissau, dedicada ao tema "O ambiente de negócios e desenvolvimento sustentável nos países da CPLP pós-covid-19”.
Segundo o presidente do parlamento guineense, a CPLP "não pode resumir-se apenas a uma comunidade de instituições e pretensões”.
"Temos de ser capazes de transformá-la em comunidade de jovens, estudantes, académicos e artistas, entre outros. Temos de ousar avançar com livre circulação de pessoas e bens, criando oportunidades aos empreendedores e a todos aqueles que querem tirar proveito das vantagens associadas de pertença a uma comunidade”, afirmou.

Cipriano Cassamá defendeu também a criação de mecanismos que "facilitem o diálogo e intercâmbios” entre os cidadãos da CPLP e de combate à pobreza e crescimento económico.
O presidente do parlamento da Guiné-Bissau salientou também que a CPLP deve lutar por uma distribuição mais "justa e equitativa das vacinas contra a Covid-19”.

A Assembleia Parlamentar da CPLP, cuja presidência será assumida pela Guiné-Bissau, antecedeu a cimeira de chefes de Estado e de Governo que se realiza em Angola, e durante a qual é discutida uma proposta que visa facilitar a circulação de cidadãos lusófonos no espaço comunitário.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política