Política

CPLP acerta posições para enfrentar o futuro

César Esteves | Nova Iorque

Jornalista

Os ministros dos Negócios Estrangeiros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) reuniram-se, sexta-feira, em Nova Iorque, Estados Unidos da América, à margem da 76ª sessão da Assembleia-Geral das Nações Unidas, para abordar as prioridades da presidência angolana na organização lusófona.

26/09/2021  Última atualização 08H05
© Fotografia por: DR
Em declarações à imprensa, no termo do encontro, o ministro das Relações Exteriores, Téte António, que presidiu à reunião, esclareceu que o assunto já tinha sido abordado durante a XIII Conferência de Chefes de Estado e de Governo, realizada, a 17 de Julho, de 2021, em Luanda, mas não com a objectividade com que se fez em Nova Iorque. 


"A reunião de hoje (sexta-feira) visou acertarmos, de forma concreta, o que pretendemos fazer”, realçou. A vertente económica, uma das prioridades da presidência angolana, foi  das tónicas dominantes do encontro. Sobre este particular, Téte António disse que não se pode falar dela se não se trouxer à mesa das discussões os instrumentos necessários para que ela seja uma realidade na comunidade. 


Uma das propostas de Angola, para a materialização deste desiderato, apresentado na reunião de Luanda, passa pela criação de um banco da CPLP. Esta iniciativa é a proposta para a criação de um quarto pilar nos objectivos da organização, no caso o económico e empresarial. A CPLP já dispõe de três pilares, nomeadamente o da promoção e difusão da língua portuguesa, concertação política e diplomática e o da cooperação.

O encontro dos ministros dos Negócios Estrangeiros da CPLP, segundo Téte António, também serviu para abordar a forma como a organização deve relacionar-se com a comunidade internacional. "Como sabem, vai haver fóruns de grande importância, sendo que um deles é a negociação que vai ter lugar sobre o tratado acerca das pandemias”, disse. 


A ideia, referiu, é unir os interesses dos países membros da organização em torno das posições a serem defendidas nos encontros internacionais. Téte António disse haver por parte da organização preocupação relativamente às lições tiradas neste período de pandemia da Covid-19, sobretudo no que diz respeito ao acesso às vacinas e forma como os países em desenvolvimento foram marginalizados neste processo.


Angola assumiu a presidência rotativa da CPLP na XIII Conferência de Chefes de Estado e de Governo, realizada, a 17 de Julho, em Luanda.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política