Sociedade

Covid-19: Famílias carenciadas na Baía Farta beneficiam de cesta básica

Mais de cento e cinquenta famílias carenciadas do bairro 11 de Novembro, no município da Baía Farta, beneficiaram ontem de bens diversos de primeira necessidade.

26/05/2020  Última atualização 08H20
DR

O gesto de solidariedade, promovido pela Administração local, visou acudir a gritante falta de condições sociais básicas que afligem as famílias carenciadas das zonas periféricas do município.

A doação é composta por colchões, fuba, arroz, sabão, detergentes, produtos de higiene domiciliar e corporal, vestuário e massa esparguete, acção que foi antecedida de sessões de sensibilização aos beneficiários sobre os métodos de prevenção contra a Covid-19. Os moradores do bairro 11 de Novembro foram informados sobre as medidas a observar para se prevenir da doença, como o uso correcto da máscara facial, lavagem das mãos e distanciamento social.

O administrador municipal da Baía Farta, José Francisco Ferreira, afirmou que a actividade consta do programa de assistência social às famílias mais necessitadas, uma actividade que conta com o apoio de empresários locais, bem como cidadãos residentes que, de forma voluntária, decidiram dar apoio a quem não tem nada. Garantiu que acções do género vão prosseguir e serão extensivas a todas as áreas.

As famílias carenciadas dos bairros Alto Liro, Calueque, Calomanga, Equimina, Vitula, arredores da sede municipal da Baía Farta, beneficiaram igualmente de cestas básicas, durante a primeira fase do programa de distribuição de bens de primeira necessidade. O Jornal de Angola soube que as famílias são, maioritariamente, provenientes de vários municípios das províncias de Benguela e da Huíla que, na procura de melhores condições de vida, acabaram por se situar no mercado municipal da Baía Farta, onde viviam em barracas e casebres de chapas de zinco.

Perante a grave situação, a Administração Municipal loteou uma área específica, na zona alta do bairro 11 de Novembro, onde foram reassentadas as respectivas famílias.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade