Sociedade

Covid-19: Capital do país pretende travar transmissão do vírus

A governadora da província de Luanda disse que desde que foi decretada a circulação comunitária na capital do país, o Governo reforçou os níveis de coordenação para travar a cadeia de transmissão do vírus, numa acção conjunta com o Ministério da Saúde e ou-tras áreas ligadas à Comissão Multissectorial.

23/07/2020  Última atualização 15H17
DR

Na conferência de im-prensa para actualização dos dados da Covid-19, Joana Lina sublinhou que ontem foi realizado um encontro entre administradores municipais e directores provinciais para redefinir estratégias para travar a circulação comunitária em Luanda.
“Foi um bom encontro, porque tivemos a oportunidade de assistir à apresentação de algumas projecções feitas com base no que tem sido a constatação diária do aumento de casos”, considerou.
Joana Lina realçou que a situação da circulação comunitária fez aumentar as responsabilidades do Governo de Luanda. Relativamente aos mercados, a governadora afirmou que foram dadas orientações às administrações para procederem de forma diferente, tendo em conta o perigo que representam.

Aumento de transportes públicos

Joana Lina referiu que o Governo decidiu aumentar o número de transportes públicos colectivos para evitar as aglomerações nas paragens.
“Estamos a encontrar um meio-termo com as operadoras de transportes colectivos para melhorar este quadro. Julgamos que até sexta-feira (amanhã) já teremos a estratégia definida”, afirmou.

A governadora de L-anda chamou a atenção dos jovens para respeitarem o momento que a cidade está a viver, respeitando as medidas de protecção individual e colectiva, como o distanciamento social, uso da máscara facial e lavagem constante das mãos com água e sabão ou a higienização com álcool-gel.
“Estamos numa fase em que temos que lutar pela vida, por isso, devemos respeitá-la, obedecendo e cumprindo as orientações impostas pelas autoridades”, apelou.

Joana Lina entende que Luanda chegou a este ponto porque muitos cidadãos não foram disciplinados. Realçou que desde o Estado de Emergência até à Situação de Calamidade Pública, as pessoas não foram exemplares. Por isso, o Governo entendeu apostar seriamente na mobilização social, devendo contar com o envolvimento das administrações, representantes das comissões de moradores e de entidades de referência das comunidades.

Joana Lina está preocupada com o número de mortes que se têm registado nos últimos dias devido à pandemia da Covid-19.“São perdas humanas que tocam a cada um de nós, o que constitui uma preocupação para a sociedade”, lamentou. Afirmou que a capital do país já ressente os efeitos da circulação comunitária da Covid-19, sublinhando que diariamente há um aumento exponencial de casos positivos e de mortes.
A governadora de Luanda mostrou-se também preocupada com a existência de “pracinhas” dentro dos bairros, que não respeitam as medidas de prevenção.

Realçou que quando as pessoas que vendem nestes locais são interpeladas pela Polícia Nacional, fogem, mas depois regressam.
Para travar essa situação, Joana Lina pediu que o controlo não seja apenas feito pela Polícia, mas por todos os munícipes, que nesta altura devem aumentar o nível de consciência, respeito pela vida e o reforço da vigilância comunitária que agora é exigido.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade