Mundo

Covid-19: 364 empresas suspenderam actividade em Moçambique

Pelo menos 364 empresas suspenderam a actividade e mais de dez mil postos de trabalho foram afectados em Moçambique, principalmente no sector de hotelaria e restauração, por causa da Covid-19, anunciou hoje (30) a Confederação das Associações Económicas (CTA).

30/04/2020  Última atualização 17H38
DR © Fotografia por: Vice-presidente da Confederação das Associações Económicas de Moçambique, Paulo Oliveira.

As empresas estão neste momento a funcionar a apenas 25 por cento do seu potencial, o que sinaliza um abrandamento substancial do nível de actividade produtiva e pode afectar significativamente o crescimento da economia e a estabilidade dos postos de trabalho", frisou Paulo Oliveira, vice-presidente com o pelouro da política financeira da CTA, maior associação patronal do país.

Paulo Oliveira falava em conferência de imprensa para avaliar o impacto da covid-19 no sector privado e do estado de emergência, em vigor no país até final de maio. No actual contexto, a CTA pediu uma revisão da medida que impõe a redução para um terço do número de trabalhadores no âmbito da prevenção da covid-19, considerando que a limitação do número de trabalhadores é impraticável em alguns sectores de actividade.

"O grande desafio está na implementação da medida sobre um terço dos trabalhadores e turnos. Aqui, precisamos refinar para melhor entendimento entre as partes, administração pública e empresas", declarou Paulo Oliveira. Aquele responsável não esclareceu se a organização defende a eliminação total da medida para os referidos setores ou a suavização da mesma, através do aumento do número de trabalhadores que podem estar no local de trabalho em cada turno.

Paulo Oliveira avançou que carecem ainda de melhor clarificação e regulamentação as normas relativas às relações laborais, entre os trabalhadores e empregadores, no âmbito do impacto da Covid-19 e do estado de emergência. O executivo, prosseguiu, deve adoptar um regime especial de suspensão e flexibilização dos contratos de trabalho adequado ao momento em que o país se encontra. A CTA insistiu na sua anterior posição de que o executivo deve agilizar o acesso das empresas à linha de financiamento de 500 milhões de dólares (463,1 milhões de euros), criada para assegurar maior disponibilidade de divisas no mercado e responder às necessidades de importações urgentes de produtos essenciais para mitigação e combate aos efeitos negativos da Covid-19.

Durante a conferência de imprensa, a CTA pediu uma redução das tarifas de electricidade e água, para aliviar os custos provocados pelo impacto da covid-19, e defendeu igualmente uma revisão em baixa do preço dos combustíveis, em linha com a queda acentuada que o petróleo tem registado nos últimos meses. Moçambique regista oficialmente 76 casos positivos de covid-19, sem mortes.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de Covid-19 já provocou mais de 227 mil mortos e infetou quase 3,2 milhões de pessoas em 193 países e territórios. Cerca de 908 mil doentes foram considerados curados.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo