Cultura

Cotonou acolhe exposições dos 47 anos da Dipanda

Duas exposições fotográfica e documental sobre o percurso político, de paz, reconciliação nacional e do Centenário de Agostinho Neto, juntaram, em Cotonou, República do Benin, angolanos, políticos, académicos e diplomatas acreditados naquele país.

15/11/2022  Última atualização 08H10
Exposições fotográfica © Fotografia por: Arquivo
As duas exposições retrataram o centenário do primeiro Presidente e Fundador da Nação angolana, Agostinho Neto, dos investimentos feitos pelo Estado Angolano nos domínios da paz nos Grandes Lagos, na electrificação do país, no combate à seca, nas telecomunicações com o Angosat-2 e do Cabo Submarino Brasil-Angola, no Corredor do Lobito, nas centralidades, novos hospitais e no incentivo ao turismo interno.

O embaixador de Angola nas Repúblicas Federal da Nigéria, Níger e Benin, Eustáquio Januário Quibato, fez as honras da casa diante de uma plateia de deputados beninenses, diplomatas, empresários, académicos e da comunidade angolana.

Ao som do ballet tradicional de Cotonou, Eustáquio Quibato descreveu os 47 anos da Independência de Angola como sendo de consolidação da paz e do abraço de irmandade para o desenvolvimento.

O chefe da missão diplomática defendeu a necessidade de Angola e Benin estreitarem a sua cooperação nos domínios da formação na agricultura e de produção de alto rendimento de algodão e de ananás.

Já o representante do Ministério dos Negócios Estrangeiros e Cooperação do Benin, Hervé Zanvo, felicitou Angola pelo esforço de estabilidade económica e de busca de paz nos Grandes Lagos para a prosperidade africana.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura