Sociedade

Comunidades satisfeitas com projectos de água

As comunidades dos muninicípios de Curoca e Cahama receberam com satisfação os projectos estruturantes de abastecimento de água às zonas da margem direita do rio Cunene, durante um acto de consulta pública, na útima quarta-feira.

03/12/2021  Última atualização 10H20
Trata-se do projecto de construção da barragem hídrica da Cova do Leão sobre o rio Caculuvale, desassoreamento de nove represas e construção de sistema de captação através de furos artesianos em Oncócua e captação de água através do rio Cunene em Chitado.

A apresentação das propostas  aconteceu na sede municipal de Curoca, Oncócua, e contou com as presenças do ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, da governadora do Cunene, Gerdina Didalelua, dos administradores dos municípios do Curoca e da Cahama, autoridades tradicionais, membros da sociedade civil e populares.   Para o soba grande de Oncócua, Joaquim Mutchila, a melhor solução para os graves problemas de falta de água do Curoca devem ser a captação do líquido no rio Cunene, a partir da zona do Monte Negro, a cerca de cinquenta quilómetros da sede municipal.

O responsável tradicional disse que a intenção da recuperação de chimpacas feita na era colonial e a abertura de novos furos de água acabam por ficar condicionada às chuvas na região.

O soba falou também do projecto em torno da barragem da Cova do Leão. Para ele,espera-se que o mesmo venha beneficiar, quer a comunidade  Cahama, quer do Curoca, nas mesmas proporções.

Já Baptista Kamukuva, soba da localidade de Ombwa, Curoca, também aponta a água do rio Cunene como uma boa solução. Disse que a população local precisa de água não só para o consumo humano e para o gado, mas também para a prática da agricultura, uma vez que quase  já não chove ultimamente.

Contribuições acolhidas

As contribuições apresentadas foram bem acolhidas, assegurou o ministro da Energia e Águas.
João Baptista Borges sublinhou que o objectivo  é encontrar melhores soluções para um problema bastante antigo que afecta esta região, que é a falta de água . "Temos  orientações do Presidente da República para que se resolvam as dificuldades de água da margem direita do rio Cunene”, sublinhou  o ministro, para acrescentar que "por esta razão elaboramos este projecto que é ainda preliminar, que discutimos convosco e no final ouvirmos contribuições que são muito valiosas.
Domingos Calucipa | Curoca

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade