Cultura

Companhia de Dança Contemporânea exibe hoje a peça “Isto é uma mulher”

A Companhia de Dança Contemporânea de Angola (CDCA) apresenta hoje, no salão nobre da Universidade do Porto, e sexta-feira, no Teatro Diogo Bernardes em Ponte de Lima, o espectáculo “Isto é uma Mulher?” de Ana Clara Guerra Marques e Irène Tassembédo, no âmbito da digressão que efectua desde 31 de Outubro à Europa.

14/11/2022  Última atualização 13H59
Bailarinos da CDCA durante um ensaio do espectáculo “Isto é uma Mulher” na seda da UNESCO © Fotografia por: DR

Amanhã, na Faculdade de Letras do Porto, e quinta-feira,  na livraria 100ª Página em Braga, será lançado do livro "Companhia de Dança Contemporânea de Angola - 30 anos de Resistência” da autoria de Ana Clara Guerra Marques (Textos) e Rui Tavares (Fotografia), com apresentação de Joana Trindade e Ana Paula Barros, respectivamente.

A CDC Angola partiu no dia 31 de Outubro, rumo à Europa, para uma digressão que se prolongará até ao dia 20 deste mês. Como primeira actividade, no dia 4 de Novembro, teve lugar a apresentação da peça "Isto é uma mulher ?” de Ana Clara Guerra Marques e Irène Tassembédo, no Fórum Fórum Seixal onde, com a sala esgotada, foi aplaudida com entusiasmo. No dia seguinte, a escritora Ana Paula Tavares fez a apresentação do livro "Companhia de Dança Contemporânea de Angola - 30 Anos de Resistência” na livraria Almedina em Lisboa.

No passado 8, teve lugar no salão nobre da Embaixada de Angola em França a exibição de um filme retrospectivo dos 30 anos da CDC Angola, seguida uma conversa com a directora artística da companhia.

No dia 10 deste mês, a única companhia de dança profissional angolana apresentou-se no grande auditório da UNESCO, em Paris, na cerimónia oficial do centenário de Agostinho Neto.

O espectáculo é um convite à todos, para a reflexão sobre o papel da mulher ontem e hoje.

Esta companhia, à qual se deve a grande transformação do panorama da dança em Angola, foi fundada em 1991, é membro do Conselho Internacional da Dança da UNESCO e possui um historial de centenas de espectáculos apresentados em Angola e em todos os continentes, sendo hoje a principal referência da dança profissional angolana no estrangeiro.

De referir que esta digressão foi patrocinada pela Fundação BAI, pelo Banco BAI e pela TAAG.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura