Mundo

Comissão do Parlamento Europeu apela à vacinação rápida em África

Membros da Comissão de Desenvolvimento do Parlamento Europeu apelaram hoje para que se acelere a vacinação contra a covid-19 em África, num debate com gestores europeus do programa Covax.

13/01/2022  Última atualização 16H30
© Fotografia por: DR

A iniciativa Covax financia as doses de vacinas para os países mais pobres, através das doações das nações mais ricas e sob os auspícios da Organização Mundial de Saúde (OMS).

O deputado sueco Thomas Tobé, presidente da Comissão de Desenvolvimento do Parlamento Europeu, disse que a taxa de vacinação em África é "desesperadamente baixa", o que "coloca os esforços da UE" para doar doses para o mecanismo de cooperação Covax "sob uma luz muito má".

"Temos de acelerar o processo, para que haja um acesso equitativo às vacinas e promover o seu fabrico nos países em desenvolvimento", disse Tobé, membro do Partido Popular Europeu (PPE).

A eurodeputada do Partido dos Cidadãos Europeus Soraya Rodríguez lembrou que "África tem a capacidade de produzir vacinas" e exortou os Estados-membros da UE a "facilitarem a transferência de conhecimentos" para os cientistas africanos.

O representante da esquerda no debate, o espanhol Miguel Urbán, foi mais longe e solicitou à Comissão e ao Conselho Europeu que tomassem uma posição a favor da libertação das patentes de vacinas e criticou o formato Covax, porque, na sua opinião, "não se pode vacinar toda a gente com base em donativos".

"Parece que a UE quer que continuemos a sofrer uma pandemia global, em vez de questionar os lucros de um punhado de empresas farmacêuticas", disse o eurodeputado espanhol.

Contudo, a representante da UE na reunião de accionistas da Covax, a eurodeputada grega Chrysoula Zacharopoulou, gabou-se da "liderança global" que disse que a UE tinha demonstrado na resposta à pandemia.

"Os europeus organizaram uma resposta de saúde global desde o início da pandemia, não desde o momento em que os nossos cidadãos já foram vacinados. Apesar de termos mortes todos os dias nos nossos países, temos estado à altura da tarefa de responder de forma solidária e global", afirmou.

O chefe do Serviço Europeu para a Acção Externa, Olivier Bailly, disse que a UE "está um pouco sozinha" na luta internacional contra a pandemia e recordou que os Estados Unidos aderiram tardiamente ao programa Covax.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo