Política

Comissão da Carteira lança apelo ao respeito pela ética

Edivaldo Cristóvão

Jornalista

A presidente da Comissão de Carteira e Ética apelou, ontem, em Luanda, para que se respeite a linha editorial e o código de ética durante a cobertura jornalística das eleições gerais do próximo ano.

28/09/2021  Última atualização 06H15
Luísa Rogério nota um desequilíbrio cada vez maior na comunicação social angolana © Fotografia por: Vigas da Purificação|Edições Novembro
Luísa Rogério falava à margem de um encontro sobre o "Posicionamento ético dos jornalistas no contexto eleitoral”, realizado, que reuniu, no auditório da Livraria das Irmãs Paulinas, vários profissionais da classe.

Veterana do Jornal de Angola, Luísa Rogério considerou que, nas eleições realizadas até aqui no país, nomeadamente em 1992, 2008, 2012 e 2017, a imprensa esteve posicionada a favor de um dos protagonistas, tornando-a descredibilizada, separada e dividida. 


Referiu que o desequilíbrio na imprensa angolana é cada vez maior, defendendo que é importante que se respeite a linha editorial e o código de ética. 


O jornalista Walter dos Reis, um dos membros da organização do encontro, lembrou que a Lei de Imprensa estabelece que se criem conselhos de redacção nas empresas de comunicação com mais de cinco jornalistas.


Os conselhos de redacção, disse, têm como atribuições essenciais contribuir para a observância do rigor e isenção da informação, assegurar junto dos jornalistas o carácter vinculativo da orientação editorial do órgão, cooperar com a direcção para que os conteúdos jornalísticos respeitem a linha editorial do órgão e o pluralismo da informação, bem como assegurar o cumprimento do estatuto do jornalista e velar pelo cumprimento do Código de Ética e Deontologia Profissional. 


Devem, ainda, cooperar com a direcção no exercício das suas competências, sendo que as opiniões e pareceres do conselho de redacção são levados ao conhecimento do director do órgão da Comissão de Carteira e Ética e da Entidade Reguladora da Comunicação Social Angolana.


Os conselhos de redacção, disse, são eleitos por escrutínio, de acordo com o regulamento aprovado para o efeito. O coordenador é eleito pelos pares, sendo que os membros não podem ser penalizados em razão das posições assumidas no seu mandato, desde que não transcendam o respectivo estatuto editorial. 


Quanto à composição, Walter dos Reis referiu que o conselho de redacção é, exclusivamente, integrado por jornalistas habilitados com carteira profissional, nos termos do Estatuto do Jornalista, eleitos por escrutínio secreto, para um mandato de dois anos.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política