Política

Combate à corrupção traz investidores da Noruega

O Reino da Noruega reconheceu ontem, em Luanda, que os esforços do Governo angolano facilitam a protecção adequada de investimentos, o combate à corrupção e a promoção da segurança jurídica.

04/12/2018  Última atualização 07H28
Francisco Bernardo | Edições Novembro © Fotografia por: Encontro com o Presidente João Lourenço analisou o futuro do intercâmbio multilateral

Angola e o Reino da Noruega definiram posições sobre questões de interesse comum durante um encontro entre o Chefe de Estado, João Lourenço, e a Primeira-Ministra daquele país, Erna Solberg, no Palácio Presidencial da Cidade Alta, em Luanda.
A chefe do Governo norueguês fez ontem uma visita de trabalho a Angola a convite do Presidente da República, João Lourenço.
A Primeira-Ministra Erna Solberg elogiou os esforços feitos pelo Governo angolano tendentes a proporcionar um ambiente empresarial mais atractivo em Angola, susceptível de facilitar a mobilização de empresas estrangeiras e a promoção do investimento internacional.
No Palácio da Cidade Alta, os chefes de Governo dos dois países centraram as conversações no fortalecimento das relações bilaterais, de acordo com um comunicado conjunto produzido no final do encontro entre João Lourenço e Erna Solberg, no seu primeiro acto oficial depois de desembarcar em Luanda, para uma visita de 24 horas.
De acordo com o comunicado conjunto, o encontro foi marcado por “uma forte convergência de pontos de vista sobre os assuntos discutidos.”
“As partes reconheceram o progresso nas relações bilaterais e comprometeram-se a reforçá-lo ainda mais com base em princípios e valores comuns de democracia, liberdade, Estado de Direito, respeito pelos direitos humanos e integridade territorial dos Estados”, lê-se no documento.
O Presidente João Lourenço, de acordo com o comunicado, louvou o espírito de cooperação e de solidarieda-de do Governo do Reino da Noruega como “um modelo para outros países que desejam acompanhar Angola no seu desenvolvimento económico e social.”
A chefe do Governo norueguês agradeceu o facto de os cidadãos do seu país terem sido escolhidos para beneficiar da isenção de vistos de entrada em Angola em turismo por um período de 90 dias.

Contactos intensos
Os dois países decidiram encorajar o estabelecimento de contactos mais intensos entre as estruturas governamentais e privadas, tendo assinalado com satisfação a realização do fórum económico Angola-Noruega, que decorreu por ocasião da presente visita oficial.
Erna Solberg louvou as iniciativas diplomáticas de Angola para manter a paz e a estabilidade regionais e promover a integração e o desenvolvimento económico do continente africano.
Os dois países manifestaram o seu engajamento em contribuir para a paz e a segurança internacionais, a promoção do livre comércio e a sustentabilidade ambiental.
Neste sentido, João Lourenço louvou a iniciativa “Economia Oceânica Sustentável”, lançada pelo Reino da Noruega, para aumentar a consciencialização internacional sobre o facto de que o uso sustentável dos oceanos e a manutenção de um bom estado ambiental podem levar a uma significativa criação de valor e capacitação para atender algumas das mais vitais necessidades do Mundo no futuro.

Convite ao Presidente
O Chefe de Estado angolano foi convidado a fazer uma visita de Estado ao Reino da Noruega. O convite foi feito pela Primeira-Ministra da-quele país, Erna Solberg, du-rante o encontro no Palácio Presidencial da Cidade Alta.
A data da visita, segundo o comunicado conjunto, deve ser acertada pela via diplomática dos dois países. Angola e a Noruega manifestaram a sua satisfação com os resultados da última reunião so-bre consultas políticas a nível de ministros, realizada em Oslo, a 8 de Junho do ano em curso.
Ontem, as partes passaram em revista a cooperação bilateral e consideraram im-portante a sua diversificação. O fundamento é o facto de “ainda permanecer muito focalizada no sector do petróleo e gás.”
A chefe do Governo no-rueguês depositou ontem uma coroa de flores no sarcófago do primeiro Presidente da República, António Agostinho Neto. Erna Solberg, na sua chegada ao Me-morial Dr António Agostinho Neto, foi recebida com honras militares na Praça da República, para depois fazer uma visita guiada e assinar o livro de honra.
A Primeira-Ministra visi-tou o Centro de Apoio à Pesca Artesanal, na Ilha de Luanda. Acompanhada da ministra das Pescas e do Mar, Victória de Barros Neto, a visitante in-teragiu com a comunidade piscatória. O dia ficou igualmente marcado por um en-contro com estudantes, aca-
démicos e a sociedade civil na Embaixada daquele país.


  Angola propõe ao Reino da Noruega cooperação diversificada

O ministro de Estado e do Desenvolvimento Económico e Social, Manuel Nunes Júnior, pediu à Primeira-Ministra do Reino da Noruega, Erna Solberg, ajuda para edificar um sistema económico menos dependente do petróleo.
Ao discursar na sessão de abertura do Fórum de Negócios Angola-Noruega, Manuel Nunes disse que a economia angolana está muito dependente do petróleo e, por isso, muito vulnerável a choques externos derivados do preço do petróleo no mercado internacional.  O ministro de Estado  referiu que existe uma correlação entre o preço do petróleo no mercado internacional e o crescimento económico do país. “Quando os preços estão em alta o crescimento económico é forte e dinâmico, e quando estão em baixa o crescimento económico é débil ou mesmo inexistente”, disse. 
Manuel Nunes Júnior explicou que,  entre 2003 e 2008, o preço do barril do petróleo esteve em alta e o crescimento económico de Angola era de 10,9 por cento.
O período de 2009 a 2017, disse, o preço do baril de petróleo baixou, sobretudo em 2014, e a taxa média de crescimento foi baixa. “Queremos acabar com esta grande dependência de Angola do petróleo”, disse. Realçou que o país está a trabalhar para estabelecer um ambiente de confiança nos negócios.

Erna Solberg assinala desafios

A Primeira-Ministra norueguesa, Erna Solberg, agradeceu ao Presidente João Lourenço pelo convite para visitar Angola, e indicou que é a primeira visita de um chefe do Governo daquele país.
Erna Solberg indicou que a Noruega é um parceiro de Angola de longa data. Historicamente, disse, as relações entre os dois países foram fundadas na luta contra o colonialismo e o apartheid.
A Primeira-Ministra referiu que as relações comerciais entre os dois países foram alargadas nos  domínios políticos e comerciais. Disse que uma boa parte das grandes empresas norue-
guesas está em África e a cooperação com Angola é um exemplo. “O sector petrolífero é a espinha dorsal na cooperação com Angola", disse, sublinhando que o parceiro mais importante da Noruega em África é Angola.  A dignitária norueguesa indicou que as empresas do seu país transferem tecnologias e que pagam os seus impostos em Angola.
“Esta cooperação cria ba-ses para o desenvolvimento tanto em Angola como na Noruega”, disse.
A Noruega, disse, vai continuar a trabalhar com  An-gola em outros sectores.
A Primeira-Ministra no-rueguesa disse que a exploração de novas áreas de negócios é uma forma de criar novos postos de trabalho e, por isso, é importante diversificar os sectores da cooperação. “As energias limpas e o sector das Pescas são também áreas de interesse mútuo”, disse. 
Erna Solberg considerou que o ambiente de negócios que o Governo angolano está a criar é fundamental para reforçar a cooperação. A Primeira-Ministra deixou ontem Luanda.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política