Política

Coligação pretende credenciar 12 mil delegados de lista

André Sibi

Jornalista

O coordenador provincial da campanha da CASA-CE em Luanda, Miguel Kimbenze, disse ontem à imprensa que para cobrir as sete mil mesas de voto existentes na capital do país a coligação vai credenciar 12 mil delegados de lista.

13/08/2022  Última atualização 06H40
Miguel Kimbenze, coordenador da campanha da CASA-CE em Luanda © Fotografia por: Armando Costa| Edições Novembro
Falando no final da campanha de mobilização porta a porta na Mabuya, Banza Kitele, Canguei e Fonte Sakala, município do Icolo e Bengo, em Luanda, disse que já estão mobilizados mais de 12 mil delegados de lista na capital para assegurar as sete mil mesas de voto previstas.

Assegurou que a educação cívica dos delegados está concluída, pelo que aguarda apenas pela distribuição nas mesas de voto: "posso garantir que em Luanda estaremos em todas as assembleias de voto no dia 24 de Agosto”.

Quanto à campanha porta a porta, realizada no Icolo e Bengo, fez um balanço positivo, a julgar pela recepção calorosa da população. Precisou ainda que o desenvolvimento das comunidades deve ser definido pelos munícipes, razão pela qual o programa de governação não foi feito no laboratório, mas, sim, ouvindo directamente os beneficiários.

"Encontramos uma população que vive da Agricultura e Pesca Artesanal de Subsistência, o que vai obrigar a CASA-CE, gizar políticas que permitam inverter o actual quadro”, referiu.

Explicou que a coligação vai priorizar políticas dinâmicas e efectivas para a juventude, capitalizar as gerações e promover emprego, formação académica e profissional.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política