Economia

Clientes acumulam dívida alta com água

A dívida dos clientes pelo consumo de água, até ao final do mês de Outubro, fixou-nos 3,15 mil milhões de kwanzas, segundo apurou o Jornal de Angola.

17/11/2020  Última atualização 11H33
Dificuldades no pagamento comprometem planos gizados © Fotografia por: DR
No global, o consumo domiciliar, com 2,4 mil milhões de kwanzas de dívida é quem menos paga. O Comércio surge com 418,2 milhões e as empresas Públicas, com 243,3 milhões, também acumulam valores elevados. Ainda assim, também são consideradas altas e determinantes na qualidade final do serviço prestado as dívidas nos ramos Industrial (32,3 milhões) e Chafarizes (9,01 milhões).

Três províncias
Os dados revelam que na província da Huíla, ainda referente ao mês de Outubro, a dívida estimou-se em 812,1 milhões de kwanzas.
Em termos de categorias, o consumo familiar (Residencial) é o que mais deve, ao todo 714,1 milhões. Seguem-se as empresas públicas, com 45,1 milhões; Comercial, com 42,2 milhões e o Industrial, com 10,5 milhões, respectivamente.
Em Benguela, ao menos, nos municípios de Catumbela e Lobito (bairros da Luz e Boa Esperança) a dívida foi estimada, até ao mês passado, no valor de 294,4 milhões de kwanzas. Aqui, a soma mais elevada é do bairro Luongo, na Catumbela, localidade onde está edificada a Centralidade, fixando-se nos 129,8 milhões. O Bairro da Luz, no Lobito, segue com 124,7 milhões e a Boa Esperança, que contabilizou 39,8 milhões no controlo.

De acordo com os dados do sector, a dívida de clientes em três municípios da província do Bié, referente ao consumo domiciliar de água, no mês de Setembro, estima-se em 82,7 milhões de kwanzas. Do valor em causa, a empresa de águas do Bié recuperou 7,01 milhões, representando 7,82 por cento, dos 83,1 milhões contabilizados no mês anterior.
Só o município da Nhârea deve 45,09 milhões.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia