Economia

Chipindo aumenta colheita de batata-rena

Arão Martins | Lubango

Jornalista

As famílias camponesas do município de Chipindo (456 quilómetros a leste da cidade do Lubango), Huíla, aumentaram a produção de batata-rena já em fase de colheita, na presente campanha agrícola.

22/07/2021  Última atualização 07H00
Volume das colheitas cresce no Chipindo apesar da seca © Fotografia por: Arão Martins| Edições Novembro| Huíla
Segundo o administrador municipal de Chipindo, Hélder Lourenço, o aumento da produção resulta do apoio recebido do Instituto de Desenvolvimento Agrário, por meio de um programa designado SMAP, além de favorecida pela opção de agrupar as famílias camponesas em associações, para enfrentar a seca que flagelou a região.

O administrador municipal de Chipindo, Hélder Lourenço, frisou que, face à crise financeira e aos efeitos da pandemia da Covid-19, os camponeses devem ampliar a produção agrícola, aproveitando sempre a água dos rios que são permanentes na região, de modo a ajudar o Governo a conter as despesas.
 
Para a presente campanha agrícola, indicou, os resultados da experiência de cultivo da batata-rena na localidade de Vingolo, arredores da sede municipal de Chipindo, são aceitáveis, graças aos esforços empreendidos pela associação de camponeses denominada "Esseteka”.

O administrador disse que a associação tem 48 integrantes e recebeu, no princípio, três toneladas de sementes de batata, sendo que já foram colhidas mais de 10 toneladas em um hectare.
Além da batata-rena, adiantou, as famílias estão a ser incentivadas a aumentar o cultivo de milho, feijão manteiga, mandioca, batata-doce, entre outros. 

"O aumento da produção contribui para o êxito do programa de combate à pobreza, que visa também oferecer alimentos suficientes no mercado nacional e contribui para a redução das importações de bens que o país produzidos”, esclareceu Hélder Lourenço.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia