Mundo

China dá à Guiné-Bissau mais 200 mil doses de vacina

A China entregou hoje à Guiné-Bissau mais 200 mil doses da vacina Sinopharm contra a Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus, no âmbito da cooperação bilateral entre os dois países.

04/10/2021  Última atualização 13H29
© Fotografia por: DR

"A oferta de 200 mil doses de vacina de Covid-19 é feita no âmbito da cooperação bilateral. Em 35 dias, o Governo da China ofereceu ao Governo da Guiné-Bissau 300.000 doses de vacina. Isso demonstra a amizade entre a China e a Guiné-Bissau", afirmou o embaixador chinês, Guo Ce.

No final de agosto, a China já tinha doado à Guiné-Bissau 100 mil doses de vacina.

A embaixada da China entregou, também, hoje ao Alto Comissariado Contra a Covid-19 da Guiné-Bissau cinco computadores, televisores, projetores e impressoras.

A alta comissária contra a Covid-19, Magda Robalo, agradeceu o "gesto de solidariedade" e afirmou que o donativo de vacinas é o segundo maior oferecido à Guiné-Bissau.

"Estas 300 mil doses de vacinas oferecidas pela República Popular da China vêm juntar-se às 304.000 oferecidas pelo Governo norte-americano, no quadro da iniciativa Covax, às 100.000 doses oferecidas pelo Governo português, às cerca de 120.000 recebidas através da iniciativa Covax e às mais 100.000 que devem chegar doadas pelo Governo alemão, também no âmbito da iniciativa Covax", afirmou Magda Robalo.

Segundo a responsável, com estes donativos a Guiné-Bissau fica numa "posição confortável para arrancar com o seu plano de vacinação, que pretende atingir até dezembro pelo menos 50% da população alvo".

Na primeira fase, o Alto Comissariado pretender vacinar todos os guineenses com 18 anos ou mais.

"Neste momento, a nossa meta é a população de 18 anos para cima e não estamos a considerar os dois milhões de guineenses, mas 700.000 guineenses", afirmou.


Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo