Política

Chefes de Estado e de Governo da OEACP confirmam presença na Cimeira de Luanda

Edna Dala

Jornalista

Oito Chefes de Estado tinham, até terça-feira, confirmado a presença na 10ª Cimeira da Organização dos Estados de África, Caraíbas e Pacífico (OEACP), que acontece sexta-feira e sábado, no Hotel Intercontinental, em Luanda, com foco na paz, segurança, desenvolvimento e direitos humanos.

07/12/2022  Última atualização 07H00
Angola na presidência rotativa da OEACP para o período 2022-2025 © Fotografia por: Paulo Mulaza | Edições Novembro

A informação foi adiantada em conferência de imprensa pelo secretário de Estado para a Cooperação Internacional e Comunidades Angolanas, Domingos Vieira Lopes, que confirmou a participação dos 79 Estados-membros da Organização, com realce para Primeiros–Ministros, vice-primeiros ministros e ministros dos Negócios Estrangeiros.

A conferência teve lugar no Centro de Imprensa Aníbal de Melo, sob orientação do ministro das Relações Exteriores e coordenador da Comissão Organizadora, Téte António. Na ocasião, o secretário de Estado para a Cooperação, Domingos Vieira Lopes, frisou que além da participação dos países membros da Organização, a OEACP convidou outras personalidades de relevo, que vão participar no diálogo com os parceiros estratégicos, na sexta-feira.

A título de exemplo, o secretário de Estado destacou que do encontro com os parceiros estratégicos constam individualidades como o presidente do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), das Nações Unidas, Commonwealth e outras organizações internacionais.

O chefe da diplomacia, Téte António, disse que com a assumpção da presidência rotativa da OEACP para o período 2022-2025, Angola terá a responsabilidade de contribuir para o crescimento da organização.

Para o ministro das Relações Exteriores, o potencial da organização representa uma plataforma bastante importante a nível internacional. Daí o interesse dos Estados-membros, mas também de outros parceiros.

Durante a Cimeira, salientou, haverá vários momentos, com destaque para a abertura, diálogo estratégico dos parceiros e debate geral sobre temas específicos e também sobre o próprio tema da Cimeira: "Três Continentes, três Oceanos, um destino comum, construindo uma OEACP resiliente e sustentável”.

Téte António destacou o papel da imprensa para o sucesso da organização. "A imprensa tem um grande papel a jogar para o crescimento desta Organização Internacional”, disse.

Questionado sobre os ganhos que a presidência de Angola à frente da Organização dos Estados de África, Caraíbas e Pacífico trará para o país, o chefe da diplomacia sublinhou que "quando se assumem essas responsabilidades, nós vamos buscar os objectivos que a própria organização determina, com os quais a República de Angola se identifica”.

Entre os objectivos, Téte António destacou os valores da solidariedade e a procura de soluções, características dos três continentes que se reúnem em Luanda, tal como o desenvolvimento.

"A trilogia: paz e segurança, desenvolvimento e direitos humanos faz parte da filosofia da OEACP. Isto significa que a República de Angola, identificando-se com esses objectivos da organização, com certeza vai fazer com que eles sirvam os interesses da sua própria população”.

Fóruns antecedem Cimeira

Durante a sua intervenção, o chefe da diplomacia angolana disse que a Cimeira de Chefes de Estado e de Governo será antecedida por quatro fóruns, nomeadamente, o da Juventude, da Diáspora, das Mulheres e dos Negócios.

Os fóruns, disse, vão alimentar os resultados da Cimeira. "Isto significa que o que será discutido no Fórum da Juventude, da Diáspora, das Mulheres e dos Negócios, deve necessariamente impactar os resultados da Cimeira, incluindo a Declaração final que está em negociação”.

Para o ministro Téte António, o Fórum de Negócios será uma oportunidade para partilha de experiências entre os empresários e não só dos Estados –membros. Será também um momento para se abordar a experiência de Angola e a apresentação das suas potencialidades, visita à Zona Económica para que todos os participantes da Cimeira tenham oportunidade de contemplar, in loco, o que Angola está a fazer.

Téte António destacou, na sua intervenção, que o Banco Mundial financiou a participação de cerca de 100 homens de negócios para a Cimeira de Luanda, o que considerou uma oportunidade para se "vender” a imagem do país.

Com o Fórum de Negócios, reforçou, abre-se também uma oportunidade para que os participantes na reunião possam ainda visitar uma exposição na Zona Económica Especial. "Isto vai possibilitar que quem vem para Angola não fique só com a imagem da sala de conferências, mas saiba o que o país está a fazer, contribuindo deste modo para aquilo que são os objectivos da OEACP”.

O Fórum da Juventude, sob o tema "A responsabilidade da juventude na sinistralidade rodoviária” terá uma abordagem abrangente, tendo em conta que os problemas de todos os jovens são comuns. O problema dos jovens de África não difere dos outros continentes, as preocupações de emprego e a necessidade de termos a janela de oportunidades depois da formação, são comuns e essa juventude precisa debater e encontrar soluções.

"Atendendo àquilo que é a pirâmide da nossa população como país, mas também a do continente africano, temos uma população maioritariamente jovem, por isso é importante que a voz desta franja da sociedade seja ouvida e participe em todos os objectivos da Organização”, frisou.

  Primeiras Damas abordam empoderamento

A 10ª Cimeira de Chefes de Estado e de Governo será igualmente marcada pelo Fórum das Primeiras Damas, reservado no programa de sexta-feira. O Fórum vai abordar questões como "a educação de meninas e mulheres como factor de empoderamento e a economia azul: uma via para a sustentabilidade e a resiliência das comunidades”.

Sobre este painel, o ministro das Relações Exteriores, Téte António, considerou a questão de género transversal. Tendo sublinhado a este propósito que hoje "não podemos simplesmente imaginar um mundo sem a contribuição desta parte importante da nossa vida e sociedade”.

Já o Fórum da Diáspora, disse, é a vertente mais explorada da OEACP e será a contribuição para o desenvolvimento. A expo é um factor bastante importante para o próprio desenvolvimento do nosso país.

Participaram na conferência de imprensa sobre a organização da Cimeira, o secretário de Estado para a Comunicação Social, Nuno Caldas, e o director nacional de Informação e Comunicação Institucional do MINTTICS, João Demba.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política