Mundo

Cerca de 600 mil pessoas em risco de insegurança alimentar no Níger

Cerca de 600 mil pessoas já estão em risco de insegurança alimentar em Tillabéri, no oeste do Níger, próximo da fronteira com o Mali, e uma “crise alimentar de grande envergadura” poderá ocorrer na região, disse hoje as Nações Unidas.

03/10/2021  Última atualização 20H17
© Fotografia por: DR

A imensa e instável região de Tillabéri [com cerca de 100 mil quilómetros quadrados], que faz fronteira com Níger, Burkina Faso e Mali, é palco desde 2017 de ataques de grupos extremistas ligados à Al-Qaida e ao Estado Islâmico (EI).

"A insegurança e os ataques recorrentes de alegados elementos de grupos armados não estatais que visam agricultores e civis terão graves repercussões este ano na já precária situação alimentar de vários milhares de famílias que vivem na região de Tillabéri”, alertou hoje o Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA, na sigla em inglês) num relatório enviado à agência de notícias AFP.

Quase 600.000 pessoas "estão em risco de insegurança alimentar", sublinhou a agência da ONU, citando os recentes resultados preliminares da avaliação da campanha agropastoril na área, onde, no entanto, foi observada uma calmaria ao longo do mês de Setembro.

O temor de uma crise alimentar foi gerado pelo "abandono dos campos das culturas e pelas dificuldades de acesso aos mercados”, explicou a agência da ONU.

"Aqueles que ousaram ir para o campo foram mortos, eles [os agressores] rastreiam-nos nas cabanas e até nas mesquitas”, disse Hadjia Sibti, presidente da Associação de Mulheres de Anzourou, cidade frequentemente alvo de ataques.

O OCHA considerou "a situação mais do que preocupante" no departamento de Banibangou, no nordeste de Tillabéri, onde mais de 79.000 pessoas correm o risco de ficar sem alimentos.

Entre Junho e Agosto de 2021, "várias dezenas de camponeses" de Banibangou "foram assassinados friamente nos seus campos por elementos” de grupos armados, forçando as populações "a abandonarem os seus campos", referiu a agência da ONU.

Até 31 de Agosto, 765.348 pessoas beneficiaram da assistência humanitária na região de Tillabéri, que abriga 101.144 pessoas deslocadas internamente, disse o OCHA.

A ONU teme "uma crise alimentar de grande envergadura" nesta região e pede ao "governo e aos seus parceiros" que tomem "medidas fortes proporcionais à escala da situação".

Em 10 de Setembro, na sua primeira visita a esta área desde sua eleição no final de Fevereiro, o Presidente do Níger, Mohamed Bazoum, prometeu continuar a assistência alimentar, bem como o estabelecimento de um sistema de segurança mais robusto para conter as incursões de atacantes do Mali.

O último massacre de civis em Anzourou foi em 21 de Agosto, em Theim, onde indivíduos armados mataram 19 pessoas numa mesquita.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo