Cultura

Centenário de Neto celebrado com concerto

Altino Santos

O palco da Liga Africana acolheu, na noite de quinta-feira, a realização de um espectáculo comemorativo, inserido nas celebrações do centenário de nascimento de Agostinho Neto.

30/07/2022  Última atualização 12H36
Banda Duia garantiu o suporte instrumental do concerto, tendo acompanhado Carlos Lamartine © Fotografia por: Vigas da Purificação| Edições Novembro

Coube ao músico Carlos Lamartine encerrar a actividade, na qual a música, teatro, declamação e dança foram as manifestações artísticas, tudo à volta da     obra e feitos do Primeiro Presidente de Angola.

Carlos Mariano Manuel, presidente da Liga Africana, justificou a homenagem recorrendo à história de António Agostinho Neto, que "foi um insigne e regular dinamizador cultural, nas vestes de autor de textos em prosa e poemas publicados na Revista Angola, da Liga Nacional Africana”.

O nacionalista e embaixador Luís Neto Kiambata,  também, tomou  a palavra para recordar o homenageado e recomendou às novas gerações para respeitarem e honrarem a figura de Agostinho Neto.

O espectáculo teve a direcção artística de Santocas e foi dado muito espaço aos Marimbeiros de Kalandula, que, ao longo do espectáculo, fizeram os separadores com a apresentadora Kinna Santos. Outro momento da música tradicional esteve a cargo do Semba Muxima e  Ballet Njinga Mbande, que encantaram os presentes com a dança tradicional, e o grupo de teatro Julu que apresentou uma obra baseada no poema "Sábado nos Musseques” e depois fez recurso a outros poemas de Agostinho Neto.

Acompanhados por Fernando Jazz, na guitarra, Universo e Ngonguita Diogo declamaram "Sábado nos Musseques”, "Ansiedade”, "Bamako” e "Depressa”. Participaram, ainda, o Duo Tio Bebe e Nvula, em momento de trova, assim como Duo Canhoto que, de Neto, apresentou "Negrura”. Lito Graça e Kaú no hungu brindaram os presentes, revisitando "Mesene” do Ngola Ritmos.

A parte final foi reservada à Banda Duia para apresentar alguns números do seu reportório e de seguida acompanhou Ângela Ferrão e Carlos Lamartine. Em "Wanga”, a senhora fez vibrar a sala, o mesmo feito de Lamartine ao ritmo de uma rapsódia de Carnaval. Antes, o também coordenador da actividade, Carlos Lamartine emocionou os presentes em "Pala Ku mu Abessu Muxima” e uma composição em homenagem ao Poeta Maior.

O espectáculo artístico foi testemunhado por Filipe Zau, ministro da Cultura, Turismo e Ambiente, Eugénio da Silva, Secretário de Estado para o Ensino Superior, Ciência e Tecnologia, membros do Executivo, deputados à Assembleia Nacional, artistas e membros da sociedade civil.

De acordo com Carlos Lamartine, este foi a homenagem possível a Agostinho Neto realizada pela Liga Africana e agradeceu o apoio de todos envolvidos.

A Liga Africana está no histórico edifício inaugurado a 28 de Maio de 1953, como sede de um importante berço do nacionalismo angolano, a Liga Nacional Africana, cuja organização precursora, a Liga Angolana, foi fundada em 1912.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura