Mundo

CEDEAO quer eleições no prazo de seis meses

Uma delegação de líderes da África Ocidental, chefiada pelo Presidente da Costa do Marfim, Alassane Ouattara, chegou sexta-feira em Conacri, um dia depois do bloco regional da CEDEAO a pedir a realização de eleições no prazo de seis meses. Segundo a AFP, Ouattara foi recebido pelo tenente-coronel Mamady Doumbouya, líder do golpe que destituiu o ex-Presidente guineense Alpha Condé, a 5 deste mês.

19/09/2021  Última atualização 03H00
© Fotografia por: DR
Esta deslocação acontece depois de uma cimeira da CEDEAO, quinta-feira, que aumentou a pressão sobre os golpistas da Guiné. Na cimeira, foram impostas novas sanções que incluem a proibição de viagens aos membros da junta e o congelamento dos seus activos financeiros.

O golpe de Estado da Guiné alimentou as preocupações internacionais sobre o retrocesso democrático na África Ocidental e traçou paralelos com o Mali, que sofreu dois golpes de Estado desde Agosto do ano passado. O líder golpista, tenente-coronel Mamady Doumbouya, ainda não respondeu ao apelo para a realização de eleições. A semana finda, ele manteve reuniões durante vários dias com personalidades políticas e da sociedade civil, em conversações destinadas a preparar o retorno ao regime civil.

Porém, Doumbouya, um ex-legionário francês, até agora recusou-se a cumprir um cronograma. "O único calendário que conta é o do povo guineense que tanto sofreu”, disse a líderes políticos num encontro realizado em Conacri.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo