Economia

Catamarãs regressam em Janeiro de 2022

Ana Paulo

Jornalista

O ministro dos Transportes, Ricardo Viegas de Abreu, anunciou, segunda-feira (29), em Luanda, o regresso, para Janeiro, dos catamarãs de transporte de passageiros em todo o país, enquanto o de carga fica para final do I Trimestre.

30/11/2021  Última atualização 10H08
© Fotografia por: DR
Contudo, de acordo com o ministro, excepcionalmente, algumas embarcações vão já apoiar a travessia de passageiros no percurso Centro da Cidade-Kapossoka-Mussulo, durante a quadra festiva.

Ricardo de Abreu justifica a posição com a procura que em geral se observa nessa época, sem contudo ter avançado os preços dos bilhetes para esta e mesmo para as demais corridas, que devem retomar em Janeiro. Estão à disposição do Ministério novas seis (6) embarcações, resultantes da recuperação de activos no estrangeiro efectuada pela Sonangol, como compensação parcial de créditos que detinha sobre o grupo China Sonangol. Passaram para a esfera jurídica do Estado um total de seis catamarãs, incluindo 33 lanchas rápidas e um iate.

Os seis Catamarãs têm capacidade para acomodar 350 passageiros cada um, o que significa uma capacidade combinada de 2.100 passageiros por viagem. Em velocidade de cruzeiro, têm uma autonomia de cerca de 400 milhas náuticas, o que aumenta a eficácia operacional desta embarcação.

Segundo o ministro, tem ainda outras regiões do país que possam precisar destas mesmas travessias, como são os casos do Soyo, Cabinda (Norte), Benguela e Namibe (Sul). Para tal, serão feitos planos de operacionalização e comercial, para colocar-se as embarcações ao serviço da população.

No acto, o presidente do Conselho de Administração da Sonangol, Sebastião Gaspar Martins, apelou às entidades responsáveis pela gestão dos meios, que tenham uma gestão cuidada, assegurando as manutenções preventivas e periódicas, bem como as condições de utilização e segurança das embarcações.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia