Cultura

Casa Museu Óscar Ribas cria espaço para as artes

Manuel Albano

Jornalista

A Casa Museu Óscar Ribas, situada no bairro do Cruzeiro, passa, doravante, a promover uma exposição de artesanato permanente, disponível ao público desde a semana passada, inserido num conjunto de actividades culturais e científicas programadas até ao próximo sábado, para celebrar mais um aniversário do seu patrono, assinalado a 17 deste mês.

24/08/2021  Última atualização 05H10
O espaço ao ar livre é uma oportunidade para os visitantes poderem adquirir objectos artesanais © Fotografia por: DR
Quem por lá passar  encontra em simultâneo a Feira do Livro, Arte e Performance, que fica patente ao público até quinta-feira, e a mostra de artesanato. Apesar de ser um local pouco habitual para o tipo de comercialização de peças de artesanato e cestarias, o artesão Pedro Macay considerou positiva a iniciativa da organização por permitir diversificar os produtos a oferecer.

O mestre explicou que expõe peças de artesanato desde bustos de imbondeiros, pensadores, estatuetas com imagens de palancas, rinocerontes, elefantes, caçadores,  mapa de Angola, quadros de pintura e cestaria feita de ma-teba, como alcofas, vasos de-corativos, porta-moedas, pastas, cestos, quindas, bases, balaios e fruteiras. Os preços das obras, disse, variam entre  os mil e os 50 mil kwanzas.


Corte e Costura

A Fundação Arte e Cultura, localizada na Ilha de Luanda, também está presente na Feira do Livro, Arte e Performance com a sua diversidade de trabalhos manufacturados e costura. Das três cooperativas existentes, a fundação decidiu levar de tudo um pouco para mostrar o potencial dos jovens que estão a aprender artes e ofícios. 

Para tal, foram escolhidas pastas, carteiras, peças de roupas masculinas e femininas para crianças e adultos, artigos de marcenaria como candeeiros de madeira, bancos e cadeirões, bem como material reciclado como pneus transformados em vasos.Para a jovem Jordânia Paulo, o trabalho desenvolvido na Fundação Artes e Cultura tem sido uma oportunidade  para que a juventude local possa obter uma profissão  e possa criar o seu próprio emprego, o que tem permitido combater a pobreza, fomentar mais empregos e tirar muitos adolescentes da delinquência.

A frequentar o curso de Pedagogia no Magistério Mutu ya Kevela, a jovem, de 18 anos, explicou que agora pode criar o seu próprio negócio com produtos de qualidade, fruto do empenho e dedicação durante o período de formação. "Os jovens têm muita força de vontade e determinação, precisamos é somente uma oportunidade de poder mostrar as nossas valências nos mais variados sectores da sociedade”. 

Ao comprarem um artigo, lembrou, as pessoas estão a ajudar a desenvolver a comunidade da Ilha de Luanda e ajudar a combater a fome e a pobreza e garantir empregabilidade à juventude.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura