Cultura

Casa das Artes acolhe concerto “Re-clássicos” do Show do Mês

Analtino Santos

Jornalista

A abertura oficial da Nona Temporada do Show do Mês foi marcada, nas noites de sexta-feira e sábado, pela estreia do concerto temático “Re-Clássicos”, no palco da Casa das Artes de Talatona, em Luanda.

31/05/2022  Última atualização 11H30
Cantora Heróide mostrou a sua versatilidade artística nos concertos do projecto da Nova Energia © Fotografia por: DR

O responsável máximo da Nova Energia, Yuri Simão, deu as boas vindas e fez um balanço positivo dos nove anos do projecto Show do Mês, num total de 22 espectáculos por temporada.

O produtor e empreendedor cultural agradeceu a todos as entidades singulares e colectivas que contribuíram para o sucesso do projecto, assim como a todos os seus colaboradores. Yuri Simão não deixou de agradeceu ao Royal Plaza que recebeu o Show do Mês e à Casa das Artes que acolhe agora o produto mais conhecido da Nova Energia.

O primeiro tema musical interpretado na nona Temporada é "Pôr-do-sol”, com Teddy Nsingui a liderar os solos num momento de cordas, refazendo este clássico da música instrumental angolana, um solo original de Zé Keno. O guitarrista a meio do concerto interpretou "12.600 Letteres” revisitando Franco e TP OK Jazz.

O concerto foi marcado pelas estreias de Dennis Sa-maya, Luwawa e Heróide, numa noite em que também desfilaram Lethus e Tony do Fumo Júnior, assim como a dupla de coristas Raquel Lisboa e Neide da Luz. Dennis foi o primeiro estreante a pisar o palco do auditório Manuel Rui Monteiro para cantar "Mu Ndengue Uami”, uma composição de Tonito Fortunato, conhecids pela interpretação de Ruy Mingas. O jovem ganhou confiança em "Eme Ngo”  e "Nzamby”. Já Omar, outra aposta nas duas noites, surgiu em bom nível, nesta primeira passagem como baterista depois de estrear-se aos 15 anos nas congas.   

Luwawa e Heróide foram outros novatos no Show do Mês. Curiosamente ambos estiveram como artistas residentes no Pavilhão de Angola na Expo Dubai 2020. Luwawa teve a responsabilidade de interpretar temas em um-bundu, sua língua materna: "Sulula” de Bessa Teixeira, pegou o baixo para recordar Carlos Burity em "O Molanguê” fez o mesmo recordando Jacinto Tchipa e Dyabick.

Heróide mostrou ser uma artista versátil  no encerramento do concerto, puxando a plateia e os colegas para a dança em "Kuikitukele”, também original de Tonito. Diferente dos outros estreantes, Heróide entrou sem medo em "Athu Mujila” usando a versão que Yola Semedo fez da composição de Santos Júnior e Filipe Mukenga.

Lethus e Tony do Fumo Filho "habitués" no Show do Mês em "Ré-Classícos”, nos seus momentos em palco não defraudaram a plateia. Lethus em "Jimina” consolidou que concilia o canto e dança e do Fumo Filho em "Ngala Ni Ji Henda” mostrou que não fica apenas com as interpretações do pai.

Raquel Lisboa e Neide da Luz, cantoras regularmente presentes nos coros no Show do Mês, foram chamadas para revisitarem "Za Boba” e "Morro da Maianga”, conhecidas do cancioneiro nacional.  

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura