Política

CASA-CE discute e aprova estratégia para as eleições

A CASA-CE reúne, amanhã, em Luanda, o Conselho Consultivo Nacional (equivalente a Comité Central) para, entre outros assuntos, aprovar o manifesto e a estratégia para as eleições gerais de 24 de Agosto, refere uma nota da coligação.

17/06/2022  Última atualização 06H40
Conselho Consultivo reúne amanhã © Fotografia por: DR

Na reunião magna, a decorrer numa unidade hoteleira, deverá, igualmente, ser aprovada a proposta do programa de governo da CASA-CE, a ser materializado em caso de vitória nas eleições.

De acordo com fonte da coligação, no encontro, deverão, igualmente, ser recolhidas as últimas contribuições para a proposta de programa de governo, antes da sua aprovação. A proposta mereceu contribuições da sociedade, durante uma campanha que se estendeu para todo o país.

O documento definitivo é apresentado, publicamente, na próxima terça-feira, durante uma conferência de imprensa, a ter lugar em Luanda. Entretanto, os militantes, simpatizantes e interessados poderão, igualmente, ter contacto com o programa, no sábado da próxima semana, num acto político de massas que deverá marcar, formalmente, a abertura da pré-campanha eleitoral da CASA-CE.

A coligação apresentou, na quarta-feira, no Tribunal Constitucional, a candidatura às próximas eleições gerais, com a apresentação da lista de candidatos a Presidente da República, Vice-Presidente da República e deputados à Assembleia Nacional.

O presidente da CASA-CE, Manuel Fernandes, foi confirmado como candidato da coligação a Chefe de Estado, enquanto o líder do grupo parlamentar, Alexandre Sebastião André, concorre como Vice-Presidente da República.

Na "luta" para a eleição ao próximo Parlamento, a coligação escolheu o advogado Hélder Chihuto como cabeça-de-lista para a maior praça eleitoral, Luanda, enquanto António Francisco Hebo, até então secretário executivo provincial em Luanda, é o nº 1 na lista de candidatos a deputados pelo círculo do Cuanza-Norte, sua terra natal e onde chegou a liderar o secretariado executivo, quando Abel Chivukuvuku era o presidente.

A CASA-CE é a terceira maior força política na Assembleia Nacional. Nas últimas eleições, a coligação elegeu 16 deputados mas o grupo parlamentar ficou dividido ao meio, na sequência do afastamento de Chivukuvuku, por alegada quebra de confiança política, em Fevereiro de 2019. Oito deputados demarcaram-se da nova direcção e estão como não integrantes de qualquer grupo parlamentar.

Pela primeira vez, a coligação participa nas próximas eleições sem o líder fundador, Abel Chivukuvuku, que, não tendo conseguido legalizar o seu projecto político, o PRA-JA Servir Angola, depois de ter sido afastado da CASA-CE, concorre pelas listas da UNITA.

O pleito de 24 de Agosto vai ser um verdadeiro teste para a actual liderança provar se mantém a tendência crescente do grupo parlamentar (em 2012 conseguiu eleger oito deputados e em 2017 dezasseis), se, pelo menos, mantém os números actuais ou se, pelo contrário, reduz a representação na Assembleia Nacional. 

 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política