Cultura

Carlos Lamartine distinguido em concerto no Memorial

Analtino Santos

Jornalista

O músico e compositor Carlos Lamartine foi surpreendido com uma homenagem du-rante o concerto da Orquestra Sinfónica de Angola (OSIA) e da Academia de Música e Artes realizado, no dia 17 deste mês, no Memorial Dr. António Agostinho Neto, em Luanda.

29/12/2021  Última atualização 09H55
Carlos Lamartine (ao centro) é uma referência da música angolana e defensor do semba de raiz © Fotografia por: DR
O Jornal de Angola tomou conhecimento dias depois, quando o artista fazia um balanço das actividades culturais de 2021 a que considerou de positivo. "Estou muito satisfeito com mais um reconhecimento desta feita da OSIA e da Academia de Música e Artes que indigitaram-me como membro nº1.”

A OSIA conta com 44 músicos instrumentista e interpretes seleccionados na  Escola de Preparação para as Orquestras (ESPOR), estando em curso o processo de integração de mais 70 músicos. A Orquestra de Câmara da OSIA que se  apresentou é parte integrante do sistema OSIA e resulta duma experiência didáctica do conceito ESPOR, no âmbito da Academia de Música e Artes (AMAOSIA), cuja directora é a promotora cultural Orlanda de Carvalho.

John Dias, director artístico da OSIA, justificou a homenagem nos seguintes moldes:  "Carlos Lamartine é uma referência da cultura nacional e tem uma certa ligação com o Dr. Flávio Ferrão, o presidente da OSIA. Depois de ter-nos oferecido uma cópia do histórico LP "Angola Ano 1” retribuímos deste modo, agora estamos a preparar um evento para formalizarmos este reconhecimento”.

Neste momento, a OSIA, em parceria com a ORCOSIA, estão a trabalhar nas obras do autor de temas como "Pala Ku Nu Abesa ó Muxima”, "Zuatenu Milele Ya Xikelela”, "Caravana Para Delfina”, "Nvunda Ku Musseque” e outros.

John Dias acrescentou que "o trabalho é feito no sentido de fazer a orquestração e continuar o projecto que é sintonizar a música nacional de forma erudita. O  objectivo é trabalhar na música angolana e africana para que se possa exportar nos outros continentes. É extremamente importante que o mundo tenha ainda mais conhecimento sobre a cultura angolana e africana”.

Segundo a nossa fonte tencionam homenagear outros músicos dos estilos semba, kilapanga, rebita, candombe a milonga. "É uma forma de estilizar a música angolana engrandecendo ou elevando ainda mais a cultura nacional e africana pelo mundo” .

John Dias fez uma retrospectiva deste projecto que abraçou em 1990 com Flávio Ferrão, inicialmente com um núcleo infantil, que receberam formação em estudos musicais, como o canto, solfejo, teoria, piano e violino. Os seus promotores haviam estudado com artistas venezuelanos, na Rússia, tendo acompanhado e assimilado os métodos dos mentores do sistema OSIA, o Mestre José António Abreu Anselmi, por volta do ano 2002, em Nova Delhi.

Os angolanos tiveram a oportunidade de interagir com o renomado músico e compositor francês, regente de orquestras Frederic Ligier, durante a montagem da Ópera Indo-Francesa "The Fakir of Benares”, que organizou a orquestração e regência da Orquestra Sinfónica de Nova Delhi (The New Delhi Symphony Orchester), do qual se assimilou elementos da maestria, experiência,  orquestração e estilo de construção e organização de orquestração.

Foi com base nos estudos das metodologias da Royal Music Schools, do Trinity College do London, e Suzuki, os mentores do sistema OSIA criaram os programas de ensino que actualmente são implementados pela AMAOSIA. O concerto da Orquestra Sinfónica de Angola e o seu sistema foi concluído na República de Angola em 2012, com o apoio dos amigos da OSIA e várias gerações que têm abraçado o projecto desde o início em 1990.

Abertos às terças, quintas-feiras e sábados, a OSIA, localizada no Talatona, é uma instituição independente, aberta e inclusiva , de iniciativa privada ao serviço de comunidade. Tem como objectivo contribuir para o desenvolvimento social e cultural das pessoas, através da música e do incentivo ao gosto pela sua prática, aberta à participação de crianças, jovens e adultos, oriundos de vários municípios da província de Luanda e de outras   do país.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura