Sociedade

Carlos Alberto condenado ontem a dois anos de prisão por calúnia

Kátia Ramos

Jornalista

O jornalista Carlos Alberto foi condenado, ontem, em Luanda, a dois anos de pena suspensa, mas tem 20 dias para fazer um pedido de desculpas públicas ao vice- procurador geral da República Mota Liz, por difamação, denúncia caluniosa e abuso da liberdade de imprensa.

14/09/2021  Última atualização 05H35
© Fotografia por: DR
Nos dias 15 de Maio e 6 de Junho do ano corrente, o jornalista Carlos Alberto publicou no seu portal, denominado "A Denúncia", que o vice-procurador geral da República Mota Liz faz parte de uma associação de malfeitores e usurpação de terreno, tráfico de influências e abuso de poder.

O juiz do caso, Domingos Fulevo, orientou ao arguido a retratar-se durante os 20 dias a contar do dia da condenação, caso contrário será efectivada a prisão.

Carlos Alberto alegou que deu a oportunidade do contraditório ao vice PGR que, por duas vezes, negou dar entrevista, justificando que pelo cargo que exerce não se sente na obrigação de prestar qualquer informação a um portal.

Carlos Alberto foi ainda condenado a pagar 100 milhões de kwanzas ao queixoso Mota Liz e cinco milhões a Esperança Ganga, uma das proprietárias do terreno, e a João Domingos, intermediário. Foi ainda condenado o portal "A Denúncia" a 310 dias de multa diária a uma taxa de justiça de 250 kwanzas. A defesa  interpôs recurso.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade