Regiões

Camponeses e jovens empreendedores beneficiam de instrumentos de trabalho

Carlos Paulino | Menongue

Jornalista

Pelo menos 16 associações de camponeses e 29 jovens empreendedores do município do Cuangar, a cerca de 400 quilómetros a sul da cidade de Menongue, na província do Cuando Cubango, beneficiaram, quinta-feira, de instrumentos agrícolas e kits profissionais, no âmbito do Programa Integrado de Desenvolvimento Local e Combate à Pobreza.

23/07/2022  Última atualização 09H50
Jovens da região incentivados a apostar na formação técnico-profissional e no autoemprego © Fotografia por: Francisco Lopes | Edições Novembro | HUAMBO

Consta dos meios entregues pelo governador do Cuando Cubango, José Martins, 16 kits agrícolas compostos por charruas de tracção animal, moto-bombas, enxadas, catanas, machados e limas, oito máquinas de corte e costura, três roloutes equipadas para a venda de bebida e comida, sete arcas, seis geleiras e oito máquinas de fazer pipoca.

José Martins disse que o governo da província pretende com este projecto aumentar a cadeia de produção agrícola e negócios no seio dos camponeses e jovens empreendedores de todos os municípios do Cuando Cubango.

Acrescentou que os camponeses dos municípios fronteiriços com a Namíbia, nomeadamente o Cuangar, Calai e Dirico, devem aproveitar a orla do rio Cubango para produzirem hortícolas, cereais e tubérculos, em grandes quantidades.

Segundo José Martins, as referidas localidades oferecem excelentes condições para o fomento da agricultura, para que as pessoas deixem de percorrer, diariamente, longas distâncias ou fazer a travessia da fronteira para irem comprar tomate, cebola, repolho, alface, couve, entre outros produtos.

"Não podemos admitir que a população dos municípios da orla fronteiriça continue a viver esta situação difícil", disse, acrescentando que o Governo da província vai continuar a prestar apoio aos camponeses e jovens empreendedores, que estão dispostos a trabalhar, mas necessitam, apenas, de incentivos para desenvolverem melhor os seus projectos.

Apelou aos camponeses e jovens beneficiários a cuidarem bem dos meios que receberam, para que possam cumprir com os objectivos deste projecto, que visa, sobretudo, o combate à fome, à pobreza, bem como ao desemprego.

Imaculada António, responsável das mulheres camponesas do município do Cuangar, agradeceu o gesto e disse que os meios recebidos vão permitir aumentar as áreas de produção. Solicitou, também, apoio em sementes e fertilizantes.

Salientou que, por falta de apoios, camponeses no município do Cuangar têm enfrentado muitas dificuldades para a produção de diversas culturas. "O Governo da província deve prestar maior atenção, porque o município tem muitas terras aráveis para a prática da agricultura em grande escala".

No Cuangar, José Martins visitou as obras de reabilitação e ampliação do Hospital Municipal, assim como as da construção da primeira escola do segundo ciclo do ensino secundário, um centro de formação profissional, 15 casas sociais do tipo T-3 para alojar quadros e de uma esquadra policial. 

  Troço Caiundo/ Dirico é reabilitado em breve

O governador do Cuando Cubango anunciou, quinta-feira, no município do Cuangar, que uma equipa técnica está a fazer, desde o princípio deste mês, o levantamento topográfico para o reinício das obras de reabilitação dos troços rodoviários Caiundo/Catuituí/ Cuangar/ Dirico, num percurso de cerca de 700 quilómetros.

José Martins, que falava no final da sua visita ao município do Cuangar, garantiu que já há financiamento para a adjudicação da empreitada, na Estrada Nacional 140.

Acrescentou que o levantamento topográfico começou no troço Caiundo/Catuituí, para posteriormente dar-se lugar a outros, para permitir o reinício das obras.

José Martins sublinhou que a conclusão dos troços rodoviários Caiundo/Catuituí e Cuangar/Calai/Dirico vai melhorar significativamente as trocas comerciais entre o Cuando Cubango e as províncias namibianas do Okavango Este e Oeste.

Realçou que o estado avançado de degradação das vias de acesso à Estrada Nacional 140 é a principal causa do atraso do desenvolvimento do Cuando Cubango e em particular dos municípios situados na orla fronteiriça.

O governador disse que são necessárias mais de dez horas num trajecto que poderia ser percorrido em três ou quatro horas, devido ao areal, buracos, ravinas e lamaçal, sendo o último factor que mais dificulta a circulação no troço do Mbalatchavo, considerado o mais crítico, sobretudo durante a época chuvosa, altura em que muitas viaturas ligeiras e pesadas ficam entaladas vários dias.

Salientou que constitui prioridade do Executivo e em particular do Governo do Cuando Cubango a reabilitação urgente deste troço, no sentido de impulsionar o desenvolvimento sustentável da província e a melhoria das condições de vida da população.

José Martins disse que constituem, também, prioridades o fornecimento de energia eléctrica e abastecimento de água potável em todos os municípios da província, assim como a aquisição de viaturas para apoio às Administrações Municipais e ambulâncias para o transporte dos pacientes em estado grave.

Destacou que, no âmbito do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), estão em curso a construção e reabilitação de dezenas de infra-estruturas sociais, como escolas, unidades sanitárias, centros de formação profissional, abertura de furos de água, esquadras policiais, entre outras acções.

 

Centrais fotovoltaicas

José Martins anunciou que o Cuangar está na lista de prioridades dos municípios do Cuando Cubango que vão beneficiar do fornecimento de energia eléctrica, com a instalação de mini centrais fotovoltaicas.

Acrescentou que, para o Cuangar, foram seleccionadas, numa primeira fase, quatro unidades que vão gerar mais de três mil ligações domiciliares em algumas comunas e aldeias.

 

Abertura de postos de guarda fronteira

Informou que foi constituída uma equipa técnica multidisciplinar que vai trabalhar no levantamento das condições para a montagem de postos de fronteira entre o Cuando Cubango e localidades da Namíbia e Zâmbia, para salvaguardar os interesses dos turistas que querem circular nos três territórios.

José Martins disse que, devido à extensa fronteira terrestre e fluvial entre o Cuando Cubango, Namíbia e Zâmbia, tem havido alguns casos de violação de fronteira, mas os efectivos dos órgãos de Defesa e Segurança têm estado a trabalhar para contrapor a situação.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões