Cultura

Camões celebra mês da criança com uma série de actividades

Mário Cohen

Jornalista

O Centro Cultural Português - Camões, em Luanda, abriu na manhã de ontem, no auditório Pepetela, a sua programação cultural de Junho, com a realização do Festival de Cinema Curta de Animação.

02/06/2022  Última atualização 06H40
© Fotografia por: DR

Ontem no festival, para celebrar o mês da criança, foram exibidos, em três sessões, às 10hh0, às 15h00 e 18h00, seis curtas-metragens de realizadores portugueses, nomeadamente "Quando os Monstros se Vão Embora”, de Bernardo Gramaxo, "O Cágado”, de Pedro Lino”, "A Ventinha e Candeeiro”, de Filipe Fonseca, "O Gigante”, de Júlio Vanzelere”, "Feral”, de Daniel Sousa e "The Amazing Ordinary Man”, de Paulo Portugal.  

Ainda para celebrar o mês da criança, o Instituto Camões vai inaugurar, no dia 8, uma exposição colectiva de artes plásticas, denominada "Arte na Escola”, de alunos da escola portuguesa de Luanda.

A mostra fica até ao final mês e estará aberta ao público de segunda à quinta-feira, das 9h00 às 13h00 e das 14h00 às 17h00. As sextas-feiras, o público pode visitar  a exposição entre às 9h00 e às 13h00, enquanto nos sábados dias 18 e 25, das 10h00 às 12h00.

O programa do Camões para o mês de Junho prevê, ainda, a realização do espectáculo de poesia, dança e música denominado "Eco-Lógico”, marcado para às 18h00, do dia 18 deste mês. No mesmo dia, a partir das 10h00, está programado o espectáculo de teatro infantil do Grupo Experimental de Teatro (GET), de Paulo Bolota. O espectáculo volta à cena, a mesma hora e local, no dia 25.

Para o dia 23, às 18h00, está agendada a realização do concerto de jazz, um tributo a Paul Gil, com participação dos Ango Jazz de Dimbo Maquiesse, no habitual "Há Jazz no Camões”, 4ª edição.

No dia 28, às 17h00, no auditório Pepetela, o Camões Centro Cultural Português e o Art Sem Letra apresentam, na sua rubrica "Escritor do Mês”, a Mira Clock autora do livro "Amar Além das Estrelas”, com o qual foi distinguida na edição 2022 dos Globos de Ouro Angola, como Autora do Ano.

Mira Clock edita obras desde 2012. Começou pelo género poético com o livro "Desabrochar”. Em Janeiro de 2015, publicou a obra que consagrou o início da sua aventura no universo da prosa, "Cartas a Um Ex Amor”.  

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura