Regiões

Cacolo assinala 87 anos desde a ascensão à categoria de vila

O município de Cacolo, província da Lunda-Sul, assinalou, ontem, 87 anos desde que ascendeu a categoria de vila, a 23 de Junho de 1934, denotando algum crescimento nos sectores da Educação, Saúde e Energia Eléctrica.

23/06/2021  Última atualização 10H40
Vários troços estão ser reabilitados no caso urbanos da localidade no âmbito do PIIM © Fotografia por: Kamuanga Júlia | Edições Novembro | Cacolo
Com de 36 mil e 185 habitantes, na maioria camponesa, a ex-vila de Minungo, conta com um Hospital Municipal, centros de saúde nas sedes comunais e novas escolas, que foram construídas no âmbito do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM) e  financiamento do Eurobonds.

Nos dias correntes,  estão em curso na vila trabalhos de asfaltagem em mais de dez quilómetros de estrada no casco urbano, a cargo da  construtora Mota-Engil, à luz do seu programa de responsabilidade social.

Os munícipes testemunharam com euforia, ontem, as inaugurações de um núcleo do Instituto Médio Politécnico, com oito salas de aula e uma  escola do ensino primário com sete salas, que vai  albergar mais de mil alunos.

O administrador municipal, Adérito Cahanga, entregou, ontem, kits de trabalho a agricultores, no mesmo dia em  que o  governador provincial da Lunda-Sul, Daniel Neto, reuniu com  as administrações municipais para passar em revista as actividades do seu pelouro.

Para o regedor de Cacolo, Armindo Sachicapo, as obras de  requalificação de estradas, a  expansão da rede de energia eléctrica, aumento de salas de aula e o surgimento de zonas verdes, retratam algum crescimento da região.

A data do aniversário, foi ainda assinalada com a realização de uma Feira Agropecuária, onde participam cerca de 40 expositores, entre em-preendedores e camponeses, na Avenida 23 de Junho, zona centro da vila. Segundo o director municipal da Agricultura e Pescas, João Moutinho, a realização deste evento permitiu a troca de experiências entre os produtores do município, que apresentaram o potencial agropecuário da região.

João Moutinho assegurou que serão concedidos 50 hectares de terra a cada comuna para beneficiar cerca de  500 famílias camponesas.

O município de Cacolo , situado a mais de 140 quilómetros da cidade de  Saurimo, capital da província, apoia famílias desfavorecidas e ex-militares, no quadro do Programa de Combate à Fome e à Pobreza, através de projectos agropecuários.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões