Economia

BPC com tendência para a recuperação

O Banco de Poupança e Crédito (BPC) anunciou ter melhorado em 84 por cento o resultado líquido que, de um prejuízo de 524,9 mil milhões de kwanzas, em 2020, passou para perdas de 83,2 mil milhões, em 2021, quando a instituição afirma ter recuperado 10,8 mil milhões em crédito vencido.

05/05/2022  Última atualização 07H40
Banco de Poupança e Crédito © Fotografia por: Edições Novembro

Estas declarações estão insertas num comunicado emitido, ontem, pelo BPC, a secundar o relatório e contas, publicado no sábado, um documento em que o banco atribui o desempenho relativo aos resultados à melhoria da margem complementar em 861,2 mil milhões de kwanzas, a um aumento da margem financeira em 25,6 mil milhões, explicada pelo crescimento nos proveitos e títulos e valores mobiliários em 19,8 mil milhões e a redução dos custos das captações de liquidez e dos depósitos dos clientes em 16,1 mil milhões.

A reversão de imparidades para títulos e valores mobiliários, no valor de 192,1 mil milhões de kwanzas devido à elevação da nota de risco soberano de Angola e o reconhecimento de imparidades de crédito e outros activos, no valor de 213,6 mil milhões, num exercício de avaliação da qualidade dos activos, também influenciaram os resultados, de acordo com o BPC.

Segundo a fonte, os resultados reflectem, ainda, a influência das imparidades  de crédito e outros activos reconhecidas no balanço de 2019 e deferidas por um período de três anos, além da implementação de uma nova política de negociação para a recuperação de crédito que, além da recuperação de crédito vencido, permitiu reestruturar operações no montante de 42,5 mil, principalmente pelo reforço das garantias.

O banco aponta, como principais marcos da operação, em 2021, a conclusão da terceira fase do encerramento de balcões, com o que foram desactivados 73 e a rede comercial passou a dispor de apenas 266 postos de atendimento, um programa de optimização do capital humano que reduziu a força de trabalho de 4 458 para 3 882 colaboradores.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia