Política

Bornito de Sousa destaca potencial hídrico de Cambambe para o pólo industrial

O Vice-Presidente da República, Bornito de Sousa, considerou, sábado (27), que o potencial hídrico do município de Cambambe, na província do Cuanza Norte, é uma vantagem crucial para o desenvolvimento do pólo industrial da região.

28/11/2021  Última atualização 07H48
Bornito de Sousa exaltou dos recursos disponíveis na barragem de Cambambe e sua importância económica para a região © Fotografia por: André Brandão | Edições Novembro | Cambambe
Falando na V Sessão Ordinária do Conselho Nacional de Águas, reforçou que o município de Cambambe possui dois dos maiores rios de Angola, nomeadamente, o Kwanza, com uma extensão total de 131,43 quilómetros, equivalentes a 81,67 milhas, e o Lucala, que flui do Norte para o Sul é um dos principais componentes da bacia do Cuanza, tem uma área de 83,25 quilómetros (51,73 milhas).


Segundo Bornito de Sousa, os recursos que envolvem a barragem de Cambambe são importantes vantagens económicas para o município e para a região, devendo continuar a ser explorados de modo sustentável.


No seu entender, o potencial hídrico reflecte o estado termodinâmico da água para se realizar trabalho, como por exemplo, gerar energia eléctrica. Sensível à situação dramática que vivem as populações do Curoca, na província do Cunene, por falta de água, disse que o Executivo está a criar um conjunto de projectos estruturantes para ajudar a transformar a realidade local.

Por sua vez, o governador da província do Cuanza Norte, Cambambe possui zonas agrícolas de valor histórico que, agregadas às fortes paisagens naturais, transformam a região num espaço, potencialmente, favorável a vários investimentos, com perspectivas para prosperidade da vida económica, turística e social local.

Adriano Mendes de Carvalho salientou a necessidade do reforço dos investimentos para a exploração dos recursos do Cuanza Norte, nos diferentes domínios, considerando que a água é fundamental para a sobrevivência humana e o desenvolvimento económico, por ser um bem estratégico.


"Devemos preservar a água com uma gestão equilibrada, que assegure a sua harmonização com as perspectivas de desenvolvimento nacional, através da economia do seu emprego e racionalização do seu uso”, afirmou.

Referiu que, com o surgimento da paz, a distribuição da água na província melhorou, mas que, em Ndalatando e Dondo, o quadro ainda inspira preocupação, a julgar pelo crescimento demográfico registado nas últimas décadas nestas urbes.
Adriano Mendes de Carvalho anunciou que estão em curso projectos de captação de água para as cidades de Ndalatando, através do Rio Lucala, e para a do Dondo.

Destacou, também, as acções voltadas para a distribuição deste bem às comunidades recônditas, desenvolvidas pelas administrações municipais, por via da execução do Programa Integrado de Desenvolvimento Local e Combate à Pobreza.


Oito sedes municipais electrificadas

No sector da Energia, o governador do Cuanza Norte frisou que oito das 10 sedes municipais da província já estão electrificadas, estando em curso o projecto para beneficiar as duas em falta e em algumas comunas estratégicas.


Mostrou-se preocupado com a comuna de São Pedro da Kilemba, onde as linhas de transporte da rede de alta tensão passam pela sede comunal, embora haja um projecto em marcha para a resolução do problema.

Marcelo Manuel e André Brandão | Cambambe

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política