Cultura

Bohemian Queen fecha o “Há Jazz no Museu”

A cantora Bohemian Queen é a figura de cartaz da última edição do “Há Jazz no Museu”, que acontece esta quinta-feira, às 18h00, no Museu Nacional de Antropologia, em Luanda, numa iniciativa do Goethe-Institut Angola.

15/11/2021  Última atualização 09H40
Sucessos da cantora encerram o projecto do Goethe Institut © Fotografia por: DR
O projecto, que teve início em Agosto deste ano, com Carlos Praia, já teve a participação de outros nomes de referência do mercado, como Aylasa e Gari Sinedima.

Agora é a vez de Bohemian Queen apresentar um concerto com temas próprios, baseados nas principais influências musicais com o Jazz no centro. A cantora promete apresentar ao público uma proposta experimental e alternativa, com composições próprias cantadas em português e inglês.

O concerto marca, também, o regresso da artista aos palcos, depois de uma pausa criativa, assim como é a antecâmara à preparação de um novo CD. Bohemian Queen, pseudónimo de Odília Penélope António, é uma cantora e guitarrista angolana nascida em Windhoek, Namíbia, cuja carreira começou em 2013, em Benguela, com o apoio do músico Victor Hugo Mendes, da Banda Beside.

O "Há Jazz no Museu” é um projecto que busca tanto promover artistas conhecidos e desconhecidos do jazz em Luanda e, ainda, colocar o Museu Nacional de Antropologia como lugar de referência de eventos culturais. Devido à pandemia, as entradas são limitadas e o público tem de respeitar as medidas de biossegurança. O concerto tem a duração de uma hora e meia.

Os ingressos podem ser adquiridos ao preço de quatro mil kwanzas. As receitas das vendas são revertidas para as despesas de manutenção do Museu Nacional de Antropologia. O Goethe, instituto cultural alemão em Angola, tem promovido e incentivado, desde 2009, o intercâmbio cultural, sendo o primeiro do género num país africano de língua portuguesa.

 

ANGOLA E PORTUGAL
"Herói” de Tchacoly  chega às plataformas


"Herói” é o título do novo CD do rapper Tchacoly a ser colocado no mercado no próximo dia 26, em todas as plataformas digitais, com distribuição no país e Portugal.

O álbum traz as participações de outros talentos angolanos, como JLZ, Yuri Haziel, Exkall, Prisca, Big Crazy e ABD. Com o lançamento, o cantor quer mostrar que é possível fazer rap sem censura, com mensagens positivas e motivadoras.

Desde o lançamento do primeiro álbum, em 2008, Tchacoly decidiu regressar ao mercado com um trabalho capaz de conquistar o público, com um álbum capaz de se tornar uma obra de arte intemporal.

Com "Herói”, disse, o rapper decidiu enaltecer todos os profissionais e chefes de família que diariamente lutam para vencer na vida. "São temas assentes num testemunho pessoal, pois também vivi inúmeras dificuldades financeiras, para colocar este segundo disco no mercado”.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura