Economia

BNA quer celeridade no serviço de contas simplificadas

Joaquim Júnior | Uíge

Jornalista

O chefe de Acompanhamento e Supervisão da Direcção Regional Nordeste do Banco Nacional de Angola (BNA), Faustino Francisco João, instou ontem, na cidade do Uíge, os gestores das diferentes dependências bancárias na província, a facilitarem o processo de abertura de contas simplificadas.

26/05/2021  Última atualização 09H55
© Fotografia por: DR
O gestor que trabalha desde segunda-feira no Uíge, para o lançamento da campanha de inclusão financeira, disse que todos os bancos comerciais que operam no mercado local, estão obrigados a aderir ao serviço de contas simplificadas, que permite aos cidadãos abrir uma conta com Cédula Pessoal.


"O Aviso n.º 12/2020, estabelece um regime de "contas simplificadas”, que são destinadas a pessoas singulares, residentes, que não reúnem todas as condições para a abertura nos termos da regulamentação então em vigor  para permitir a inclusão financeira da população”, disse.
Esclareceu que, as contas simplificadas constituem um passo importante para a inclusão financeira dos cidadãos, porque facilitam na poupança dos rendimentos e reduz a circulação de moedas no mercado informal.

"Para a abertura de uma conta bancária não há necessidade de ter muito dinheiro, apenas cinco mil kwanzas, e a conta Bankita com um mínimo de 100”, informou.
Outro produto importante que os bancos precisam aderir, sublinhou o responsável, tem a ver com a contratação de Agentes Correspondentes Bancários, que permite a celebração de contratos de prestação de serviços com empresas com capacidade financeira para gerir as transacções de diferentes instituições.


A campanha de sensibilização da população para a abertura de contas bancárias Bankita e Simplificada, visando a inclusão financeira e facilitar o acesso ao crédito bancário, terá a duração de 12 dias, iniciando na sede capital da província do Uíge, nos mercados da Feira e Praça Grande, vai se estender nos municípios da Damba, Maquela do Zombo, Negage e Quitexe.

Para Maria Gueia, gerente de uma das dependências do Banco Angolano de Investimentos(BAI), a instituição está preparada para fornecer todos os serviços úteis para a inclusão financeira dos cidadãos.A vice-governadora para o Sector Político, Social e Económico do Uíge, Maria Fernando Cavungo, que testemunhou o arranque da campanha, mostrou-se preocupada com as longas filas que se registam nos terminais de Multicaixa.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia