Economia

BNA mantém os juros e coeficientes de reservas

O Banco Nacional de Angola (BNA) decidiu manter a taxa básica de juro em 15,5 por cento, bem como os coeficientes de reservas obrigatórias em moeda nacional e estrangeira em 22 e 17 por cento, respectivamente, anunciando que vai continuar a monitorizar a liquidez no mercado para conter os efeitos sazonais da quadra festiva.

29/11/2020  Última atualização 06H10
CPM mantém política monetária depois de analisar comportamento dos principais indicadores económicos © Fotografia por: Vigas da Purificação | Edições Novembro
As decisões foram tomadas na reunião do Comité de Política Monetária (CPM) realizada sexta-feira, em Luanda, para analisar o comportamento dos principais indicadores económicos, bem como os impactos das medidas tomadas anteriormente sobre os diferentes sectores da economia.

Na nota divulgada após a reunião, o BNA declarou, também, a manutenção da taxa de juro da Facilidade Permanente de Cedência de Liquidez em 15,5 por cento, a da Facilidade Permanente de Absorção de Liquidez com maturidades overnight e de sete dias em 0,00 e em 7,00 por cento, assim como a taxa de custódia em 0,1 por cento sobre o excesso de liquidez dos bancos comerciais.

As decisões foram tomadas com base na evolução económica de Outubro, quando cerca de 61 por cento das compras de divisas dos bancos comerciais foram adquiridas aos seus clientes, o que é sucedido pela posterior entrada do Tesouro Nacional na plataforma FXGO de intermediação de operações cambiais no mercado primário.


Recuo das reservas

O BNA realçou que as Reservas Internacionais Brutas (RIB) situaram-se, em Outubro, em 15,25 mil milhões de dólares, menos 139,83 milhões de dólares que em Setembro, e que, "não obstante a redução observada, as mesmas equivaliam a 11 meses de importação de bens e serviços, acima da meta de convergência de seis meses da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC)”.

As Reservas Internacionais Líquidas (RIL) situaram-se em 9,17 mil milhões de dólares  no final de Outubro, o que representou uma diminuição de 149,06 milhões de dólares  face a Setembro.
O Índice de Preços no Consumidor Nacional apresentou uma taxa de variação mensal de 1,81 por cento em Outubro, ligeiramente acima da observada no mês anterior (1,79), enquanto a taxa de inflação acumulada nos primeiros 10 meses do ano fixou-se em 20,18 por cento e a inflação homóloga foi de 24,34 por cento face aos 23,82 do mês anterior.

No mercado monetário, o CPM avaliou os actuais níveis de liquidez do sistema bancário "que se encontram relativamente dentro dos limites pretendidos”, bem como os impactos da implementação da taxa de custódia que contribui para reduzir a taxa Luibor Overnight.

"No entanto”, sublinha o BNA, "é de extrema importância continuar a monitorar a liquidez do mercado no sentido de conter os efeitos sazonais da quadra festiva que se avizinha e manter a base monetária, variável operacional da política monetária, dentro da previsão efectuada para o ano em curso e o alcance do objectivo de inflação de 25 por cento em 2020”.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia