Economia

BIGsales prevê facturar 40 milhões de kwanzas no primeiro trimestre

Xavier António

Jornalista

A BIGsales Angola, franchising de lojas online prevê facturar 40 milhões de kwanzas no primeiro trimestre deste ano e antevê um crescimento na ordem dos 25 por cento, revelou hoje o CEO da empresa na cerimónia de pré lançamento.

24/01/2022  Última atualização 18H44
© Fotografia por: CEDIDA

Raúl Silva destacou que o comércio electrónico é o segmento de negócios que mais cresce no mundo desde 2020, "e os números mostram que a expectativa é que continue com um desempenho ascendente”.

De acordo com Raul Silva, os interessados que pretendam ter a sua própria loja online existem pacotes que incluem a montagem da loja, estrutura de funcionamento, gestão de produtos até a logística da entrega.

Planos de lojas

A empresa que funciona com tecnologia europeia tem disponível três planos de venda para os clientes, nomeadamente pacote ouro avaliado em quatro milhões e 250 mil kwanzas, prata (dois milhões e 500 mil kz) e o bronze fixado em (um milhão de kwanzas).

"Os clientes do plano ouro têm direito a 25 mil produtos e dez categorias, prata (dez mil produtos e três categorias) e o bronze três mil produtos e uma categoria”, esclareceu, para quem as lojas online são desenvolvidas em função das solicitações dos agentes económicos.

Avançou que a empresa entra para o mercado angolano além do projecto das lojas online com foco também no negócio de gestão de serviços tecnológicos, sobretudo para atingir a camada jovem que, está nos últimos tempos, voltada para as compras na internet a partir de um tablete, telemóvel ou computador.

Segundo dados avançados pelos responsáveis, a BIGsales Angola faz parte das 25 empresas digitais a nível do mundo escolhida pela Amazon, a multinacional de tecnologia norte-americana trata das questões de aceleração digital.

A empresa conta com cinco colaboradores numa primeira fase e resulta de um investimento de 180 mil euros, através de cinco principais accionistas.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia