Política

Bienal de Luanda em finais de Novembro

A segunda edição do Fórum Pan-Africano para a Cultura de Paz – Bienal de Luanda realizar-se-á de 27 a 29 de Novembro próximo, anunciou este sábado, em Addis Abeba (Etiópia), o representante permanente de Angola junto da União Africana, Francisco José da Cruz.

16/10/2021  Última atualização 15H37
Delegação angolana na 39ª sessão executiva da UA © Fotografia por: CEDIDA

Ao intervir na 39ª sessão do Conselho Executivo da União Africana, encerrada hoje, o diplomata esclareceu que o aumento dos conflitos políticos, da intolerância religiosa, étnica e cultural, da radicalização e do extremismo violento que se assiste em várias partes de África justifica, mais do que nunca, a necessidade de se encontrar soluções pragmáticas e complementares a favor da paz e estabilidade no continente.

"Apoiada pela União Africana e a UNESCO, Angola reafirma o seu engajamento na realização da 2ª Edição da Bienal de Luanda”, exteriorizou Francisco José da Cruz que é igualmente o embaixador de Angola na Etiópia.

Contextualizando a iniciativa, citou a Carta Africana sobre Democracia, as Eleições e a Governação que estabelece no artigo 12º que "os Estados partes comprometem-se em implementar programas e levarem a cabo actividades visando promover os princípios e práticas democráticas e consolidar a cultura democrática e de paz”.

O fórum, cuja primeira edição decorreu em Setembro de 2019, reúne de dois em dois anos actores e parceiros de um movimento pan-africano empenhado na prevenção da violência e dos conflitos e na promoção de uma cultura de paz abrangente, assente na plena adesão aos princípios e normas internacionais de direitos humanos e de luta contra a corrupção e a impunidade em África.

"Contamos com a participação activa dos Estados membros para que, em conjunto, possamos continuar a avançar na divulgação e domesticação da Cultura de Paz, deste conjunto de valores, atitudes e comportamentos que traduzem o respeito pela vida, pelo ser humano e pela sua dignidade e que constitui a base fundamental para a plena realização da cidadania em África”, disse o embaixador.

A 39ª sessão do Conselho Executivo da UA, aberta quinta-feira (14), elegeu, entre outros, os comissários Minata Samate Cessouma (burkinabe) para Saúde, Assuntos Humanitários e Desenvolvimento Social, e o argelino Mohammed Belchocine para Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação.

Angola participou na reunião com uma delegação chefiada pela secretária de Estado das Relações Exteriores, Esmeralda Mendonça, que partiu hoje de Addis Abeba para Varsóvia (Polónia), em visita de trabalho de consultas políticas.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política