Sociedade

Bié e Malanje têm boas perspectivas de colheitas

As famílias camponesas da província do Bié preparam, para a safra de 2020/2021, um total de 1.200 hectares de terra para a plantação exclusiva de trigo e procurar responder às necessidades do país, constatou o ministro da Agricultura e Pescas, António Francisco Assis, que visitou os municípios de Catabola e Chinguar.

23/09/2021  Última atualização 07H55
Executivo aposta forte na agricultura para diversificar a economia e diminuir a dependência do petróleo © Fotografia por: Miqueias Machangongo | Ediçoes Novembro
O ministro, que garantiu todo o apoio à classe de camponeses, considerou que a província registou avanços significativos na produção agrícola e apresenta desafios que o Governo, em particular o Ministério de tutela, vai abraçar e dar soluções.

Francisco Assis manifestou, igualmente, satisfação pela capacidade local que a província dispõe, principalmente da existência de fertilizantes suficientes para produzir o cereal.

O governante realçou que a procura da semente do trigo deixou de ser um problema, uma vez a Fazenda Vinevala e Filhos, no município do Chinguar, dispor do suficiente para atender as necessidades dos camponeses.

Francisco Assis, que esteve durante três dias na província do Bié, referiu que o país só vai alcançar níveis de desenvolvimento aceitáveis se fizer uma aposta séria na agricultura em todas as suas vertentes. Municípios especializados

No âmbito do programa de distribuição de 500 hectares de terra por município, o Governo do Bié desenvolve um projecto de especialização, com vista a potenciar a produção agrícola em função das características de cada região.  Por isso, o governador provincial do Bié,  Pereira Alfredo, disse que a iniciativa do projecto visa diferenciar as potencialidades dos municípios, daí os apoios serem disponibilizados com base na tradição de cada cultura.Pereira Alfredo afirmou que, localmente, estão disponíveis 150 toneladas de sementes de trigo, 225 de milho, 200 de feijão e 27 de soja, para serem distribuídos nos municípios, enquanto se aguardam as primeiras quantidades do Ministério de tutela. Empregos assegurados

Na localidade de Cutato, município do Chinguar, 40 jovens, com idades até 38 anos, legalizaram uma cooperativa agrícola, denominada "Primeira Meta”, com uma área de produção de 104 hectares de hortícolas e cereais.

O governador do Bié encorajou os jovens a continuarem nesta senda, tendo referido que a prática da agricultura vai ajudar a retirar do desemprego milhares de pessoas.O presidente da referida cooperativa, José Maria, manifestou-se satisfeito por o grupo beneficiar de alfaias agrícolas, entregues pelo ministro da Agricultura e Pescas.

Boa colheita na terceira fase

Em Malanje, as famílias camponesas vão colher mais de um milhão e meio de toneladas de hortícolas, no final da terceira campanha agrícola 2020/2021.

O coordenador do Programa de Fomento da Agricultura Familiar Orientada para o Mercado (Mosap II), Paulo Sozinho, disse que esse feito, considerado inédito, é fruto do emprego de 20 toneladas de adubo do tipo "NPK” e iguais quantidades de sementes de repolho e de tomate.

As 2.234 famílias que recebem apoio técnico material e financeiro do Instituto de Desenvolvimento Agrário, por via do Mosap, vão ter oportunidade de recapitalizar-se financeiramente, depois dos prejuízos sofridos como consequência da estiagem prolongada que se verificou na província e da tardia injecção dos insumos agrícolas.

O Mosap é um programa financiado pelo Banco Mundial, em cerca de 80 milhões de dólares, e está a ser implementado nas províncias do Bié, Huambo e Malanje, com o objectivo de ajudar as famílias camponesas a produzirem melhor e colher mais, mesmo em pequenas dimensões de terras.


Matias da Costa | Cuito e Joaquim Neto | Malanje 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade