Mundo

Biden reúne-se com PR queniano

O Presidente dos EUA, Joe Biden, vai realizar as suas primeiras negociações bilaterais com um líder africano, na quinta-feira, recebendo o homólogo queniano, Uhuru Kenyatta, quando a guerra e uma crise humanitária agitam a vizinha Etiópia.

12/10/2021  Última atualização 21H34
© Fotografia por: DR

As negociações vão ocorrer semanas depois de Biden ter assinado uma ordem executiva ameaçando impor sanções contra o primeiro-ministro etíope, Abiy Ahmed, e contra outros líderes envolvidos no conflito que envolve a região de Tigray, se não forem tomadas medidas em breve para acabar com a guerra que dura há 11 meses.

Contudo, a situação parece deteriorar-se, com as forças do Tigray a acusar o Governo da Etiópia de ter lançado uma ofensiva militar, na tentativa de por fim à guerra, denunciando que centenas de milhares de combatentes etíopes fizeram um ataque coordenado em várias frentes.

O Quénia, que faz fronteira com a Etiópia, há muito que tem um próximo relacionamento com os EUA, fazendo parceria com Washington nos esforços para impedir o terrorismo islâmico.

O Governo de Biden ameaçou avançar com sanções, em breve, se não houver uma mudança dramática da situação no terreno, ao mesmo tempo que as Nações Unidas alertam para o facto de centenas de milhares de pessoas estarem a viver em condições de fome.

Os EUA e as Nações Unidas afirmam que as tropas etíopes impediram a passagem de camiões que transportavam alimentos e outras ajuda humanitária.

O encontro de Biden com Kenyatta acontece no momento em que o líder queniano enfrenta um apertado escrutínio sobre as propriedades 'offshore' que detém e que foram descobertos no âmbito da investigação jornalísticas designada como 'Pandora Papers'.

Kenyatta é um dos mais de 330 actuais e ex-políticos identificados como beneficiários das contas secretas reveladas numa reportagem do Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação, que denunciou o facto de o Presidente queniano fazer publicamente campanha contra a corrupção quando arrecadava cerca de 25 milhões de euros em "offshore".

 

 

                                                                                

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo