Regiões

Benguela quer melhorar gestão de recursos hídricos

Os caudais dos rios, particularmente as bacias hidrográficas do Cacongo, na Ganda, e o rio Catumbela, podem beneficiar em breve de barragens, com zonas de acomodação das águas, para melhorar a utilização dos recursos hídricos, segundo o vice-governador de Benguela para o Sector Técnico e Infra-Estruturas.

04/05/2019  Última atualização 08H58
DR © Fotografia por: Águas das chuvas podem ser solução para o período de seca

Leopoldo Muhongo disse que foi recentemente criado um gabinete de gestão dos recursos hídricos, para permitir que a província de Benguela aproveite melhor a água das chuvas, fazendo com que não haja dificuldades em tempo seco.
“Por se assistir em algumas épocas chuvosas, tanto no rio Cavaco como no Coporolo um excesso de água que flui, sem proveito, para o oceano atlântico, o que em períodos de seca representa grandes dificuldades, foi criado esse gabinete, que vai permitir também que se melhore a questão da energia”.
O referido gabinete, ainda de acordo com o vice-governador, vai fazer com que os fluxos dos caudais sejam melhor aproveitados, do ponto de vista do fornecimento da água, o que vai permitir que, do ponto de vista da agricultura, haja melhores rendimentos, bem como potenciar o sector do turismo, na perspectiva da geração de postos de trabalho.
O governante, que falava durante uma conferência de imprensa, reconheceu que a província de Benguela não tem capacidade de armazenamento de água, porque foi concebida para atender uma determinada demanda populacional.
“Nós não temos capacidade de armazenagem , porque o Projecto de Águas de Benguela foi concebido para atender uma determinada demanda populacional e o não acompanhamento dos fluxos demográficos, que continuam a crescer, resulta hoje, como é natural, em dificuldades para fornecer este produto à população”, argumentou.
De acordo com o governante, associa-se a isso o facto do Governo Provincial ter necessidades financeiras elevadas para aumentar os níveis de água colocada à disposição dos consumidores.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões