Sociedade

Benguela: INADEC retira do mercado produtos com datas expiradas

Diversos produtos alimentares com prazos de validade expirados, mas adulterados, foram apreendidos e retirados dos mercados formais e informais na província de Benguela, nos últimos dias, pelo Instituto Nacional de Defesa do Consumidor (INADEC).

19/08/2020  Última atualização 20H49
DR

O INADEC constatou que a adulteração foi feita nos rótulos dos produtos à venda, em elevadas quantidades, por comerciantes, perigando assim a saúde dos consumidores, segundo referiu ao Jornal de Angola o chefe dos serviços provinciais do Instituto Nacional de Defesa do Consumidor, Manuel Furtado. 

“Apreendemos mais de 200 caixas de iogurte (sabor à baunilha) de marca Pascoal, 11.500 pacotes de biscoitos Parle-G, queijo, água mineral, sumos da marca Lulu e Compal (grandes e pequenas unidades), batatas fritas, leite líquido e refrigerante Red Cola, totalmente fora de uso”, disse o chefe dos serviços do INADEC.

O INADEC considera má-fé por parte dos operadores que intercalam os produtos em caixas, por forma a desviar a atenção do consumidor. “Isto acontece desde o mercado informal ao formal, voltando para o informal”. Desde Janeiro, o INADEC apreendeu 2.600 sacos de farinha de trigo (com minhocas e larvas), sacos vazios de arroz, com produto já preparado e adulterado, prontos para ensacar e comercializar.

Açúcar, fuba de milho, massa alimentar, manteiga “Rama” e “Romi”, fermento e coco ralado, em condições deploráveis, peixe cachucho fresco, pensos higiénicos e tintas fazem parte dos restantes produtos com prazos de validade expirados, retirados agora do comércio. 

O chefe dos serviços provinciais do Instituto Nacional de Defesa do Consumidor felicitou a atitude tomada por duas unidades comerciais em Benguela que destruíram de forma voluntária diversos alimentos perecíveis como frango, queijo e flocos, fora dos prazos de validade.

Num encontro com empresários nacionais e estrangeiros realizado na terça-feira em Benguela, para reflexão sobre a qualidade dos produtos, promovido pelo INADEC, Manuel Furtado apelou aos presentes para terem uma conduta responsável, salvaguardando desta maneira a saúde humana.

A vice-governadora para o Sector Político, Social e Económico, Deolinda Valiangula, pediu ao INADEC para reforçar a sua actuação, trabalhando com a sociedade para proteger o consumidor e exortou os empresários a venderem produtos com rótulos em português e em condições para o consumo humano.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade